Ministro lança Plano Nacional da Segurança em Goiânia

Prioridades são a redução de homicídios, dos casos de violência contra a mulher, além da racionalização do sistema penitenciário e a proteção das fronteiras; ministro Alexandre de Moraes afirmou que a presidência da República já determinou que sejam investidos R$ 1,2 bilhão do orçamento na área de Segurança Pública e Penitenciária; integração dos estados e uma participação mais efetiva da União no combate a violência sempre foram reivindicações do governador Marconi Perillo; desde 2012, o tucano reivindica a criação de um plano que também endureça o combate ao tráfico de drogas nas fronteiras sul-americanas

Prioridades são a redução de homicídios, dos casos de violência contra a mulher, além da racionalização do sistema penitenciário e a proteção das fronteiras; ministro Alexandre de Moraes afirmou que a presidência da República já determinou que sejam investidos R$ 1,2 bilhão do orçamento na área de Segurança Pública e Penitenciária; integração dos estados e uma participação mais efetiva da União no combate a violência sempre foram reivindicações do governador Marconi Perillo; desde 2012, o tucano reivindica a criação de um plano que também endureça o combate ao tráfico de drogas nas fronteiras sul-americanas
Prioridades são a redução de homicídios, dos casos de violência contra a mulher, além da racionalização do sistema penitenciário e a proteção das fronteiras; ministro Alexandre de Moraes afirmou que a presidência da República já determinou que sejam investidos R$ 1,2 bilhão do orçamento na área de Segurança Pública e Penitenciária; integração dos estados e uma participação mais efetiva da União no combate a violência sempre foram reivindicações do governador Marconi Perillo; desde 2012, o tucano reivindica a criação de um plano que também endureça o combate ao tráfico de drogas nas fronteiras sul-americanas (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, lançou na manhã desta quinta-feira, em Goiânia, o Plano Nacional de Segurança Pública. As prioridades são a redução de homicídios, dos casos de violência contra a mulher, além da racionalização do sistema penitenciário e a proteção das fronteiras.

O ministro ressaltou que a presidência da República já determinou que sejam investidos R$ 1,2 bilhão do orçamento na área de Segurança Pública e Penitenciária.

A integração dos estados e uma participação mais efetiva da União no combate a violência sempre foram reivindicações do governador Marconi Perillo. Desde 2012, o tucano reivindica a criação de um plano que também endureça o combate ao tráfico de drogas nas fronteiras sul-americanas.

O anúncio do Plano Nacional de Segurança Pública ocorre durante o 4º Encontro do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual e a 64ª Reunião do Colégio Nacional de Secretários de Segurança Pública (Consesp), em Goiânia.

No encontros, os profissionais de todos os estados vão apresentar as metas e estratégias a serem adotadas para o combate à criminalidade nas diversas áreas. As propostas aprovadas pelos irão constar na segunda Carta de Goiânia.

"Somente os governadores são obrigados a investir em segurança publica do cidadão. As políticas de enfrentamento diárias são políticas exclusivas do governo. Precisamos de uma PEC [Proposta de Emenda à Constituição] que vincule outras responsabilidades ao governo federal, municipal. Não quero diminuir o que estado está investindo, mas defendo que a União também coloque dinheiro e as prefeituras também", destacou o governador de Goiás, Marconi Perillo.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247