Morre professora que tentou salvar crianças em creche incendiada

O número de mortos na tragédia na creche incendiada em Minas subiu nesta madrugada; uma professora e duas crianças morreram; a professora Heley de Abreu Silva Batista, 43, tentou enfrentar Santos e impedir que o segurança jogasse álcool e, depois, fogo nas crianças, segundo relatos; entre as vítimas estão seis crianças de 4 anos, a professora e o segurança; eegundo os Bombeiros, há ainda 24 feridos em estado grave, sendo 22 crianças e dois adultos

O número de mortos na tragédia na creche incendiada em Minas subiu nesta madrugada; uma professora e duas crianças morreram; a professora Heley de Abreu Silva Batista, 43, tentou enfrentar Santos e impedir que o segurança jogasse álcool e, depois, fogo nas crianças, segundo relatos; entre as vítimas estão seis crianças de 4 anos, a professora e o segurança; eegundo os Bombeiros, há ainda 24 feridos em estado grave, sendo 22 crianças e dois adultos
O número de mortos na tragédia na creche incendiada em Minas subiu nesta madrugada; uma professora e duas crianças morreram; a professora Heley de Abreu Silva Batista, 43, tentou enfrentar Santos e impedir que o segurança jogasse álcool e, depois, fogo nas crianças, segundo relatos; entre as vítimas estão seis crianças de 4 anos, a professora e o segurança; eegundo os Bombeiros, há ainda 24 feridos em estado grave, sendo 22 crianças e dois adultos (Foto: Giuliana Miranda)

Minas 247 - Uma professora e duas crianças morreram na noite desta quinta-feira (5), após o incêndio em uma creche em Janaúba (547 km de Belo Horizonte), elevando para oito o número de mortos depois que o segurança Damião Soares Santos, 50, colocou fogo em seu corpo e incendiou o local, segundo a Polícia Civil.

Entre as vítimas estão seis crianças de 4 anos, a professora e o segurança. Segundo os Bombeiros, há ainda 24 feridos em estado grave, sendo 22 crianças e dois adultos.

A professora Heley Abreu, 43, teve 90% do corpo queimado As duas crianças que morreram na noite desta quinta estavam a caminho de Belo Horizonte para atendimento. O garoto Renan Nícolas estava com 90% do corpo queimado, enquanto Cecília tinha queimaduras em 80% do corpo.
A professora Heley de Abreu Silva Batista, 43, tentou enfrentar Santos e impedir que o segurança jogasse álcool e, depois, fogo nas crianças, segundo relatos.

"É uma pessoa que sempre amou a profissão e arriscou a vida para salvar outras vidas [das crianças]. É triste, a família está sofrendo demais", afirmou Luis à TV Bandeirantes.

As informações são de reportagem de no UOL.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247