Morte de garotas: júri popular de Thiago deve ocorrer em maio

Tribunal de Justiça realizou oito audiências nesta quinta-feira sobre crimes cometidos pelo vigilante Thiago Gomes da Rocha, o serial killer que já confessou a morte de 14 mulheres em Goiânia; acusado chegou ao Fórum Criminal nervoso e permaneceu calado durante as audiências; 14 crimes já tiveram a autoria confirmada pela Polícia Civil e Thiago pode ter matado 21 pessoas no total; rapaz usava uma moto para circular na Capital, escolhia garotas na rua, chegava e disparava um tiro no peito das vítimas

Tribunal de Justiça realizou oito audiências nesta quinta-feira sobre crimes cometidos pelo vigilante Thiago Gomes da Rocha, o serial killer que já confessou a morte de 14 mulheres em Goiânia; acusado chegou ao Fórum Criminal nervoso e permaneceu calado durante as audiências; 14 crimes já tiveram a autoria confirmada pela Polícia Civil e Thiago pode ter matado 21 pessoas no total; rapaz usava uma moto para circular na Capital, escolhia garotas na rua, chegava e disparava um tiro no peito das vítimas
Tribunal de Justiça realizou oito audiências nesta quinta-feira sobre crimes cometidos pelo vigilante Thiago Gomes da Rocha, o serial killer que já confessou a morte de 14 mulheres em Goiânia; acusado chegou ao Fórum Criminal nervoso e permaneceu calado durante as audiências; 14 crimes já tiveram a autoria confirmada pela Polícia Civil e Thiago pode ter matado 21 pessoas no total; rapaz usava uma moto para circular na Capital, escolhia garotas na rua, chegava e disparava um tiro no peito das vítimas (Foto: José Barbacena)

TJ-GO - O juiz Eduardo Pio Mascarenhas, da 1ª Vara Criminal de Goiânia, decidiu pela pronúncia do vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha pelos homicídios de Ana Lídia de Sousa, em 2 de agosto de 2014, e Bárbara Luíza Costa, ocorrido em 18 de janeiro do mesmo ano. As duas sessões do Tribunal do Júri devem ser realizadas em maio, caso não haja interposição de recursos, conforme explicou o magistrado.

“No que concerne à autoria, vislumbro a presença de indícios suficientes de que o acusado tenha matado as vítimas”, segundo afirmou o juiz. Foram analisados as características do autor e da motocicleta, o modo semelhante de agir e o laudo da perícia técnica, que constatou que os disparos saíram da arma encontrada na residência de Tiago.

Apontado como suposto serial killer, Tiago pode ser autor de mais de 21 assassinatos – dos quais 14 já tiveram autoria confirmada, segundo exame de balística, e o restante segue em investigação pela Polícia Civil. Ele também é acusado de assaltos e tentativas de homicídios. Segundo Eduardo Pio, cada processo será julgado separadamente e, caso seja necessário, haverá também um Tribunal do Júri para cada crime contra a vida. "Não é possível juntar todas as ações em apenas um julgamento, pois cada um tem sua materialidade delitiva". O magistrado também adianta que "a tendência é a pronúncia, haja vista que ele é imputável, segundo laudo de sanidade mental, ou seja, pode responder por seus atos".

Audiências

Nesta quinta-feira (26), Eduardo Pio promoveu oito audiências sobre as mortes de Taynara Rodrigues da Cruz, Thamara Conceição, Ana Karla Lemes, Isadora Aparecida Cândida dos Reis, Lilian Sissi Mesquita, Arlete dos Anjos, Juliana Neúbia Dias e Pedro Henrique de Paula Souza. Durante as oitivas, Tiago permaneceu em silêncio. Na presença dos familiares das vítimas e de jornalistas, ele tentou esconder o rosto e abaixou a cabeça. Quando chegou escoltado ao prédio do Fórum Heitor Moraes Fleury, o acusado demonstrou bastante nervosismo, tendo, inclusive, chutado a porta de acesso à 1ª Vara Criminal.

Foram ouvidas testemunhas oculares dos crimes, parentes das vítimas e policiais que atuaram nos casos. Um dos momentos mais comoventes foi o depoimento de Gilmar Cândido dos Reis, pai de Isadora, morta no dia 1º de junho de 2014 – dias após a festa de 15 anos, numa suposta tentativa de assalto, no Setor São José.

Assim que entrou no local das audiências, Gilmar olhou fixamente para Tiago, sem desviar o olhar, até ser chamado pelo juiz para se apresentar e depor. Entre os relatos, ele contou como chegou à cena do crime e descreveu a personalidade amorosa da jovem. “Fui avisado, imediatamente após o assassinato, já que foi bem perto de nossa casa. Cheguei antes mesmo dos curiosos e vi minha filha no chão, com as pupilas dilatadas. Era uma moça educada e muito obediente. Nunca brigamos, ela nunca respondeu ou levantou a voz para ninguém. Ganhou bolsa de estudos por causa de seu desempenho excelente na escola. A única infelicidade dela foi cruzar o caminho desse homem (apontando para Tiago)”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247