MP quer provas da Lava Jato para investigação sobre Rodoanel

A Força Tarefa da Lava Jato solicitou ao juiz Sérgio Moro que autorize o compartilhamento da quebra de sigilo do lobista Adir Assad, já condenado no esquema de corrupção na Petrobras, com o Ministério Público de São Paulo para uma investigação sobre o trecho Leste do Rodoanel Mário Covas, na capital paulista; o pedido está sob análise do juiz Sérgio Moro; a Lava Jato identificou que a concessionária SPMar, responsável por administrar os trechos Sul e Leste, e a São Fernando Açúcar, ambas pertencentes ao Grupo Bertin, pagaram R$ 6,2 milhões para a empresa de fachada Legend Engenheiros Associados, utilizada por Assad para lavar dinheiro

A Força Tarefa da Lava Jato solicitou ao juiz Sérgio Moro que autorize o compartilhamento da quebra de sigilo do lobista Adir Assad, já condenado no esquema de corrupção na Petrobras, com o Ministério Público de São Paulo para uma investigação sobre o trecho Leste do Rodoanel Mário Covas, na capital paulista; o pedido está sob análise do juiz Sérgio Moro; a Lava Jato identificou que a concessionária SPMar, responsável por administrar os trechos Sul e Leste, e a São Fernando Açúcar, ambas pertencentes ao Grupo Bertin, pagaram R$ 6,2 milhões para a empresa de fachada Legend Engenheiros Associados, utilizada por Assad para lavar dinheiro
A Força Tarefa da Lava Jato solicitou ao juiz Sérgio Moro que autorize o compartilhamento da quebra de sigilo do lobista Adir Assad, já condenado no esquema de corrupção na Petrobras, com o Ministério Público de São Paulo para uma investigação sobre o trecho Leste do Rodoanel Mário Covas, na capital paulista; o pedido está sob análise do juiz Sérgio Moro; a Lava Jato identificou que a concessionária SPMar, responsável por administrar os trechos Sul e Leste, e a São Fernando Açúcar, ambas pertencentes ao Grupo Bertin, pagaram R$ 6,2 milhões para a empresa de fachada Legend Engenheiros Associados, utilizada por Assad para lavar dinheiro (Foto: Valter Lima)

247 - A Força Tarefa da Lava Jato solicitou ao juiz Sérgio Moro que autorize o compartilhamento da quebra de sigilo do lobista Adir Assad, já condenado no esquema de corrupção na Petrobras, com o Ministério Público de São Paulo para uma investigação sobre o trecho Leste do Rodoanel Mário Covas, na capital paulista. O pedido está sob análise do juiz Sérgio Moro, que ainda não decidiu se autoriza o compartilhamento.

A Lava Jato identificou que a concessionária SPMar, responsável por administrar os trechos Sul e Leste, e a São Fernando Açúcar, ambas pertencentes ao Grupo Bertin, pagaram R$ 6,2 milhões para a empresa de fachada Legend Engenheiros Associados, utilizada por Assad para lavar dinheiro, segundo a Procuradoria da República.

Em São Paulo, o Trecho Leste do Rodoanel é alvo de um inquérito civil instaurado em 2013 pelo promotor Marcelo Milani, da 8ª Promotoria do Patrimônio Público da capital paulista para apurar se o atraso nas obras do Rodoanel Leste poderia configurar descumprimento contratual ou causar prejuízo público por parte da concessionária SPMar.

A investigação foi instaurada a partir da representação do deputado estadual Orlando Morando, do PSDB, correligionário do governador Geraldo Alckmin. Uma das suspeitas de irregularidade é o fato de que a concessionária, que venceu a licitação em 2011, ter começado a cobrar pedágio no trecho antes mesmo das obras serem concluídas.

Apesar de o inquérito civil ter como alvo a Artesp, agência reguladora do Estado de São Paulo, Milani solicitou o compartilhamento das provas com a Lava Jato para apurar se os pagamentos da concessionária às empresas de Assad poderiam estar relacionadas aos atrasos ou a outras irregularidades envolvendo a SPMar. Caso se confirme as suspeitas, a investigação poderá ser ampliada e incluir também a concessionária.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247