MPL 'queima' ACM Neto na frente da Prefeitura

"Esse ato foi em protesto por ele se recusar a negociar. Foi uma forma de mostrar o repúdio à atitude dele, que é um desrespeito com o movimento e com a democracia", afirma Walter Takemoto, membro do Movimento Passe Livre; os manifestantes 'exigem' redução no valor da tarifa dos ônibus dos atuais R$ 2,80 para R$ 2,50 e gratuidade para todos os estudantes de Salvador; o prefeito afirma que não há condição de atender às exigências

MPL 'queima' ACM Neto na frente da Prefeitura
MPL 'queima' ACM Neto na frente da Prefeitura
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Romulo Faro - Bahia 247

Salvador é a capital que ainda concentra as manifestações mais intensas do Movimento Passe Livre (MPL) porque o prefeito ACM Neto (DEM) afirma que não há condição de atender às 'exigência' de reduzir a tarifa dos ônibus dos atuais R$ 2,80 para R$ 2,50 e gratuidade todos os dias para os estudantes.

As atividades de hoje mais uma vez foram intensas e culminaram com um ato simbólico na frente do Palácio Thomé de Souza, sede da Prefeitura de Salvador. Os manifestantes puseram fogo em um boneco que tinha como rosto uma foto de ACM.

"Esse ato foi em protesto por ele se recusar a negociar. Foi uma forma de mostrar o repúdio à atitude dele, que é um desrespeito com o movimento e com a democracia", disse Walter Takemoto, do MPL, em entrevista ao site Bahia Notícias.

Outro ato extremo dos manifestantes foi a pichação na fachada do posto de recarga dos cartões Salvador Card, sistema de bilhetagem eletrônico do Sindicato das Empresas de Transporte Público de Salvador (Setps), no bairro do Comércio.

Desde o início da movimentação do Movimento Passe Livre, o prefeito ACM Neto anunciou como medidas para atender às reivindicações a extensão do programa Domingo é Meia (todos os passageiros pagam meia passagem) e a implantação do bilhete único para passageiros que utilizam o Salvador Card. A julgar pelas manifestações, as medidas não foram suficientes.

Um grupo composto por 15 integrantes do MPL mantém ocupação ao plenário da Câmara Municipal e afirmam que só deixarão o prédio do Legislativo quando a tarifa tiver redução pleiteada dos R$ 30 centavos.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247