MST ocupa a sede da Rede Globo na Bahia

Cerca de 300 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Frente Povo Sem Medo ocuparam a sede da Rede Bahia, afiliada da Globo, em Salvador (BA); "Estamos fazendo esse dia de mobilização, denunciando o papel que a Globo tem tido, assim como teve no Golpe de 64 com a ditadura militar porque ela apoiou, ela publicizou, estimulou e ela tem feito coisa parecida agora, retirando diretos dos trabalhadores, estimulando a venda das riquezas do nosso país e estimulando a prisão do presidente Lula", disse um dos representantes dos manifestantes, Vítor Alcântara

Cerca de 300 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Frente Povo Sem Medo ocuparam a sede da Rede Bahia, afiliada da Globo, em Salvador (BA); "Estamos fazendo esse dia de mobilização, denunciando o papel que a Globo tem tido, assim como teve no Golpe de 64 com a ditadura militar porque ela apoiou, ela publicizou, estimulou e ela tem feito coisa parecida agora, retirando diretos dos trabalhadores, estimulando a venda das riquezas do nosso país e estimulando a prisão do presidente Lula", disse um dos representantes dos manifestantes, Vítor Alcântara
Cerca de 300 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Frente Povo Sem Medo ocuparam a sede da Rede Bahia, afiliada da Globo, em Salvador (BA); "Estamos fazendo esse dia de mobilização, denunciando o papel que a Globo tem tido, assim como teve no Golpe de 64 com a ditadura militar porque ela apoiou, ela publicizou, estimulou e ela tem feito coisa parecida agora, retirando diretos dos trabalhadores, estimulando a venda das riquezas do nosso país e estimulando a prisão do presidente Lula", disse um dos representantes dos manifestantes, Vítor Alcântara (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - Cerca de 300 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e a Frente Povo Sem Medo ocuparam a sede da Rede Bahia, afiliada da Globo, em Salvador (BA).

"Nós estamos fazendo esse dia de mobilização, denunciando o papel que a Globo tem tido, assim como teve no Golpe de 64 com a ditadura militar porque ela apoiou, ela publicizou, estimulou e ela tem feito coisa parecida agora, retirando diretos dos trabalhadores, estimulando a venda das riquezas do nosso país e estimulando a prisão do presidente Lula", disse um dos representantes dos manifestantes, Vítor Alcântara, ao Bahia Notícias.

Ainda segundo ele, a manifestação também marca o aniversário de dois anos do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e os 22 anos do massacre de Eldorado dos Carajás, quando 19 agricultores ligados ao MST foram mortos pela Polícia Militar do Pará.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247