MST ocupa sede do Incra em Fortaleza

Cerca de 1000 trabalhadores e trabalhadoras do MST de todo Ceara ocuparam na manhã de hoje, a sede do Incra, em Fortaleza. A ação faz parte da jornada nacional de lutas organizadas pelo MST em todo País, contra o golpe e contra o retrocesso nas políticas para o homem do campo. Amanhã, os manifestantes do MST devem também fazer uma caminhada ao Palácio da Abolição para tentar uma audiência com o governador Camilo Santana

Cerca de 1000 trabalhadores e trabalhadoras do MST de todo Ceara ocuparam na manhã de hoje, a sede do Incra, em Fortaleza. A ação faz parte da jornada nacional de lutas organizadas pelo MST em todo País, contra o golpe e contra o retrocesso nas políticas para o homem do campo. Amanhã, os manifestantes do MST devem também fazer uma caminhada ao Palácio da Abolição para tentar uma audiência com o governador Camilo Santana
Cerca de 1000 trabalhadores e trabalhadoras do MST de todo Ceara ocuparam na manhã de hoje, a sede do Incra, em Fortaleza. A ação faz parte da jornada nacional de lutas organizadas pelo MST em todo País, contra o golpe e contra o retrocesso nas políticas para o homem do campo. Amanhã, os manifestantes do MST devem também fazer uma caminhada ao Palácio da Abolição para tentar uma audiência com o governador Camilo Santana (Foto: Fatima 247)

Cerca de 1000 trabalhadores e trabalhadoras do MST de todo Ceara ocuparam na manhã de hoje, a sede do Incra, em Fortaleza. A ação faz parte da jornada nacional de lutas organizadas pelo MST em todo País, contra o golpe e contra o retrocesso nas políticas para o homem do campo. Os militantes do MST estão denunciando a paralisação da reforma agrária determinada pelo Tribunal de Contas da União, que suspendeu os processos de seleção de beneficiários de lotes, bem como de pessoas que já tenham sido selecionadas pelo programa, além da extinção do MDA, redução dos recursos do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária- Pronera, assassinatos e perseguição de lideranças rurais, entre outras pautas. Também estão denunciando a ameaça de despejo de 40 famílias que vivem há 07 anos, no assentamento Nova Vida, em Mauriti na região do Cariri, que esta com ordem judicial de despejo,

Os manifestantes conseguiram ser recebidos pelo atual superintendente do Incra, Marcos Cals, para iniciar as negociações. Após a audiência os manifestantes devem realizar uma assembleia no local, para avaliar e definir novas ações.

Amanhã, os manifestantes do MST devem também fazer uma caminhada ao Palácio da Abolição para tentar uma audiência com o governador Camilo Santana, com o objetivo de apresentar as propostas do MST para o enfrentamento da questão hídrica no Ceará.

                          

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247