Mulher de Pimentel coloca sigilos à disposição

Alvo de investigação da PF, a primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Oliveira, apresentou ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) petição para se antecipar à quebra de sigilos fiscal, bancário e telefônico para reforçar o argumento da defesa sobre supostos desvios de recursos para campanhas eleitorais

Alvo de investigação da PF, a primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Oliveira, apresentou ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) petição para se antecipar à quebra de sigilos fiscal, bancário e telefônico para reforçar o argumento da defesa sobre supostos desvios de recursos para campanhas eleitorais
Alvo de investigação da PF, a primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Oliveira, apresentou ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) petição para se antecipar à quebra de sigilos fiscal, bancário e telefônico para reforçar o argumento da defesa sobre supostos desvios de recursos para campanhas eleitorais (Foto: Roberta Namour)

247 - A primeira-dama de Minas Gerais, Carolina Oliveira, apresentou ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) petição para se antecipar à quebra de sigilos fiscal, bancário e telefônico nas investigações sobre supostos desvios de recursos para campanhas do PT que envolvem também o governador Fernando Pimentel (PT-MG).

Segundo a colunista Mônica Bergamo, ela disponibilizará os dados para reforçar o argumento da defesa, de que todos os recursos que recebeu em trabalhos de assessoramento nunca foram transferidos para o marido.

O STJ autorizou abertura de inquérito, solicitada no último dia 18 pela Polícia Federal, para apurar o suposto envolvimento do casal nos fatos investigados pela Operação Acrônimo, da PF.

Em nota, o governo de Minas Gerais afirmou que a operação da PF foi feita com base em "deduções fantasiosas" e que o governador e a esposa estão à disposição para qualquer esclarecimento.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247