Mulher empurrada no Metrô de SP diz que sentiu vagões passarem sobre ela

Jussara Araújo de Souza, a mulher empurrada para os trilhos do Metrô de São Paulo disse que sentiu os vagões do trem passarem por sobre seu corpo e que ainda não acredita como saiu viva do incidente;  ela estava indo da estação Conceição para a estação Marechal Deodoro, na região central de São Paulo, para trabalhar e por conta do queda nos trilhos, ela levou 30 pontos na perna, tem hematomas na testa e nos braços

 Jussara Araújo de Souza, a mulher empurrada para os trilhos do Metrô de São Paulo disse que sentiu os vagões do trem passarem por sobre seu corpo e que ainda não acredita como saiu viva do incidente;  ela estava indo da estação Conceição para a estação Marechal Deodoro, na região central de São Paulo, para trabalhar e por conta do queda nos trilhos, ela levou 30 pontos na perna, tem hematomas na testa e nos braços
Jussara Araújo de Souza, a mulher empurrada para os trilhos do Metrô de São Paulo disse que sentiu os vagões do trem passarem por sobre seu corpo e que ainda não acredita como saiu viva do incidente;  ela estava indo da estação Conceição para a estação Marechal Deodoro, na região central de São Paulo, para trabalhar e por conta do queda nos trilhos, ela levou 30 pontos na perna, tem hematomas na testa e nos braços (Foto: Charles Nisz)

SP 247 - Jussara Araújo de Souza, a mulher empurrada para os trilhos do Metrô de São Paulo disse que sentiu os vagões do trem passarem por sobre seu corpo e que ainda não acredita como saiu viva do incidente. Ela descreve ter sentido um empurrão e caído com o rosto nos trilhos. Segundo ela, o impacto foi amortecido pela bolsa.

Casada e mãe de três filhos, Jussara estava indo da estação Conceição para a estação Marechal Deodoro, na região central de São Paulo, para trabalhar. Ela é atendente em uma lanchonete. Por conta do queda nos trilhos, ela levou 30 pontos na perna, tem hematomas na testa e nos braços. Ela foi retirada debaixo do trem pelos bombeiros.

Identificado como Sebastião José da Silva, 55, o suspeito da agressão foi detido. Segundo o boletim de ocorrência, ele teria dito que "ouviu vozes". O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Metropolitana (Delpom), na estação Palmeiras-Barra Funda. De acordo com a assessoria do Metrô, o homem sofre de problemas mentais.

Na estação Conceição, a faixa amarela fica a menos de um metro do vão onde circulam os trens e é a única sinalização de segurança para os passageiros. O presidente do Metrô, Paulo Menezes Figueiredo, disse que há um plano de instalação de portas de proteção entre a plataforma e os trilhos. Algumas estações da Linha 2-Verde já contam com o dispositivo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247