Na gastronomia, Minas continua com uma de suas principais delícias: o queijo

Uma das maiores delícias de Minas Gerais tem apenas seis letras: queijo; passear pelo estado sem se deparar com estabelecimentos que vendem queijos artesanais é como "comer sem saborear"; e uma das principais cidades dona de um queijo que dá água na boca é Serro, a 330 km de Belo Horizonte, no Vale do Jequitinhonha; com 20 mil habitantes e mais de 300 anos, o município tem um modo artesanal de fazer queijo considerado patrimônio imaterial, sendo reconhecido internacionalmente; segundo a Codemig, o estado é a unidade federativa que mais investe em gastronomia no País; a produção queijeira no estado tende a ser impulsionada pelo programa +Gastronomia, lançado pelo governador Fernando Pimentel; assista ao vídeo apresentador pela jornalista Maíra Lemos

Uma das maiores delícias de Minas Gerais tem apenas seis letras: queijo; passear pelo estado sem se deparar com estabelecimentos que vendem queijos artesanais é como "comer sem saborear"; e uma das principais cidades dona de um queijo que dá água na boca é Serro, a 330 km de Belo Horizonte, no Vale do Jequitinhonha; com 20 mil habitantes e mais de 300 anos, o município tem um modo artesanal de fazer queijo considerado patrimônio imaterial, sendo reconhecido internacionalmente; segundo a Codemig, o estado é a unidade federativa que mais investe em gastronomia no País; a produção queijeira no estado tende a ser impulsionada pelo programa +Gastronomia, lançado pelo governador Fernando Pimentel; assista ao vídeo apresentador pela jornalista Maíra Lemos
Uma das maiores delícias de Minas Gerais tem apenas seis letras: queijo; passear pelo estado sem se deparar com estabelecimentos que vendem queijos artesanais é como "comer sem saborear"; e uma das principais cidades dona de um queijo que dá água na boca é Serro, a 330 km de Belo Horizonte, no Vale do Jequitinhonha; com 20 mil habitantes e mais de 300 anos, o município tem um modo artesanal de fazer queijo considerado patrimônio imaterial, sendo reconhecido internacionalmente; segundo a Codemig, o estado é a unidade federativa que mais investe em gastronomia no País; a produção queijeira no estado tende a ser impulsionada pelo programa +Gastronomia, lançado pelo governador Fernando Pimentel; assista ao vídeo apresentador pela jornalista Maíra Lemos (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - Uma das maiores delícias de Minas Gerais tem apenas seis letras: queijo. Passear pelo estado sem se deparar com estabelecimentos que vendem queijos artesanais é como "comer sem saborear". Segundo a Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemig), o estado é a unidade federativa que mais investe em gastronomia no País. Minas, por exemplo, é o maior produtor de café e de leite no Brasil, com, respectivamente, 56,4% e 26% do total produzido. Tem, ainda, o segundo maior rebanho bovino do País.

E uma das principais cidades dona de um queijo que dá água na boca é Serro, a 330 km de belo horizonte, no Vale do Jequitinhonha. O município tem 20 mil habitantes e mais de 300 anos. É patrimônio nacional desde 1938. Inclusive, o modo artesanal de fazer queijo é patrimônio imaterial reconhecido internacionalmente, segundo a jornalista Maíra Lemos.

A produção queijeira no estado tende a ser impulsionada pelo programa +Gastronomia, lançado em maio deste ano pelo governador Fernando Pimentel. O projeto envolve diversas instâncias da administração estadual para, em conjunto com a sociedade civil e a iniciativa privada, fomentar e valorizar a cadeia produtiva da gastronomia, reconhecendo-a como setor estratégico para o desenvolvimento sustentável do Estado de Minas Gerais.

Assista ao vídeo apresentado por Maíra:

A política do + Gastronomia tem por objetivo orientar as ações de governo voltadas ao fortalecimento da gastronomia mineira e de toda a sua cadeia produtiva: segmentos da produção de insumos, de abastecimento e armazenamento, de comércio, de indústria e de serviços.

Além da geração de emprego e renda, o +Gastronomia se pauta pela preservação das tradições gastronômicas e reforço da identidade local e do senso de comunidade e pela busca da sustentabilidade socioeconômica e ambiental.

Nesse contexto, a Mineiraria e seus estandes e ações são uma vitrine do setor. Nos estandes Espaço Mineiraria, pequenos produtores mineiros participam de grandes eventos estaduais e nacionais, projetando a gastronomia mineira.

Ao mesmo tempo, a Cozinha Escola Mineiraria no Mercado Central de Belo Horizonte desenvolve capacitações para profissionais e amadores da culinária mineira, e a Mineiraria – Casa da Gastronomia se prepara para ser um equipamento cultural e turístico único, agregador de experiências e troca de saberes gastronômicos, localizado em um edifício histórico inteiramente restaurado na Rua Uberaba, 865, no Barro Preto, região Centro-Sul de Belo Horizonte, integrando o complexo do Centro de Cultura Presidente Itamar Franco.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247