“Não admitiremos o selo de bela, recatada e do lar”, diz vereadora

Vereadora de Salvador Marta Rodrigues (PT) repudiou as declarações do "presidente ilegítimo Michel Temer" no Dia Internacional da Mulher, quando ele "reduziu o papel do sexo feminino na sociedade à vida doméstica e na economia a de ser capaz apenas de notar as flutuações dos preços de supermercados"; "Como se já não bastasse a falta de legitimidade para assumir o cargo de presidente, Temer mostra ter uma visão retrógrada e obsoleta da sociedade. Nós, mulheres, não admitimos o selo de 'bela, recatada e do lar', que ele mesmo atribuiu à esposa dele. Somos mulheres de luta e representamos 52% da população deste País", diz Marta

Vereadora de Salvador Marta Rodrigues (PT) repudiou as declarações do "presidente ilegítimo Michel Temer" no Dia Internacional da Mulher, quando ele "reduziu o papel do sexo feminino na sociedade à vida doméstica e na economia a de ser capaz apenas de notar as flutuações dos preços de supermercados"; "Como se já não bastasse a falta de legitimidade para assumir o cargo de presidente, Temer mostra ter uma visão retrógrada e obsoleta da sociedade. Nós, mulheres, não admitimos o selo de 'bela, recatada e do lar', que ele mesmo atribuiu à esposa dele. Somos mulheres de luta e representamos 52% da população deste País", diz Marta
Vereadora de Salvador Marta Rodrigues (PT) repudiou as declarações do "presidente ilegítimo Michel Temer" no Dia Internacional da Mulher, quando ele "reduziu o papel do sexo feminino na sociedade à vida doméstica e na economia a de ser capaz apenas de notar as flutuações dos preços de supermercados"; "Como se já não bastasse a falta de legitimidade para assumir o cargo de presidente, Temer mostra ter uma visão retrógrada e obsoleta da sociedade. Nós, mulheres, não admitimos o selo de 'bela, recatada e do lar', que ele mesmo atribuiu à esposa dele. Somos mulheres de luta e representamos 52% da população deste País", diz Marta (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - A vereadora de Salvador Marta Rodrigues (PT) repudiou as declarações do "presidente ilegítimo Michel Temer" na quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher. Segundo ela, Temer "reduziu o papel do sexo feminino na sociedade à vida doméstica e na economia a de ser capaz apenas de notar as flutuações dos preços de supermercados".

"Como se já não bastasse a falta de legitimidade para assumir o cargo de presidente, Temer mostra ter uma visão retrógrada e obsoleta da sociedade. Nós, mulheres, não admitimos o selo de 'bela, recatada e do lar', que ele mesmo atribuiu à esposa dele. Somos mulheres de luta e representamos 52% da população deste País", afirma Marta.

Para vereadora, as declarações só demonstram "o despreparo de Michel Temer para assumir o comando de um País" onde, além de as mulheres serem maioria, há uma incessante luta do coletivo feminista para conquistar mais representatividade nos espaços de poder e eliminar a divisão sexual do trabalho, que coloca o sexo feminino sempre em segundo plano.

"Ele desconhece a realidade do País e a reduz à realidade da vida doméstica dele. Mostra total despreparo. Estamos claramente sendo presididos por um governo machista, que desvaloriza a importância da mulher ocupando os mesmos espaços que os homens para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária", afirma a vereadora.

"O presidente ilegítimo", diz Marta Rodrigues, parece ainda desconhecer o avanço obtido nos governos Lula e Dilma em relação a ocupação das mulheres em trabalhos de grande visibilidade. "Se hoje vemos mais mulheres ocupando cargos de chefia na indústria, nas empresas públicas e privadas, é graças à política de inclusão, reparação e equidade dos governos petistas. Temer vai na contramão de tudo que foi construído".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247