“Não aguento uma semana preso”, diz Geddel

Braço direito de Michel Temer, denunciado ontem como chefe de quadrilha, e operador das malas do PMDB, o ex-ministro Geddel Vieira Lima disse a aliados que não aguenta passar uma semana preso; a ameaça de uma delação de Geddel é o fator que pode implodir o governo Temer, que tem tentado demonstrar tranquilidade com a segunda denúncia do procurador-geral de Rodrigo Janot; Geddel foi preso depois da maior apreensão de dinheiro sujo da história do Brasil – R$ 51 milhões – e ontem viu ser negado seu pedido para cumprir prisão domiciliar; denúncia contra Temer chegará ao Congresso na próxima semana e pode ser engrossada pelo fator Geddel

08/09/2017- Brasília- DF, Brasil- O ex-ministro Geddel Vieira Lima chega a Brasília após ser preso pela pela Polícia Federal em Salvador onde cumpria prisão domicilia Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
08/09/2017- Brasília- DF, Brasil- O ex-ministro Geddel Vieira Lima chega a Brasília após ser preso pela pela Polícia Federal em Salvador onde cumpria prisão domicilia Foto: Valter Campanato/Agência Brasil (Foto: Leonardo Attuch)

247 – A maior ameaça a Michel Temer, denunciado ontem como chefe de quadrilha, se chama Geddel Vieira Lima, que foi seu braço direito e protagonista da maior apreensão de dinheiro sujo da história do Brasil. Nada menos que R$ 51 milhões, encontrados em seu bunker em Salvador.

Operador das malas do PMDB, Geddel disse a aliados que não aguenta passar uma semana preso, segundo a coluna Painel.

A ameaça de uma delação de Geddel é o fator que pode implodir o governo Temer, que tem tentado demonstrar tranquilidade com a segunda denúncia do procurador-geral de Rodrigo Janot.

Ontem, o ex-ministro de Temer viu ser negado seu pedido para cumprir prisão domiciliar.

Portanto, a denúncia contra Temer chegará ao Congresso na próxima semana e pode ser engrossada pelo fator Geddel.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247