‘Não é só uma mensagem maldosa, é um crime’, diz aluno da FGV vítima de racismo

Curiosamente, o nome do agressor, Gustavo Metropolo, não foi divulgado pelos veículos de imprensa, embora conste no Boletim de Ocorrência, registrado no 4º Distrito Policial da Consolação, no centro da cidade; o documento foi divulgado pela Revista Fórum, assim como a foto do autor do crime; de acordo com o site, Gustavo retirou todos os seus perfis das redes sociais logo após a mensagem se espalhar pelas redes internas

Curiosamente, o nome do agressor, Gustavo Metropolo, não foi divulgado pelos veículos de imprensa, embora conste no Boletim de Ocorrência, registrado no 4º Distrito Policial da Consolação, no centro da cidade; o documento foi divulgado pela Revista Fórum, assim como a foto do autor do crime; de acordo com o site, Gustavo retirou todos os seus perfis das redes sociais logo após a mensagem se espalhar pelas redes internas
Curiosamente, o nome do agressor, Gustavo Metropolo, não foi divulgado pelos veículos de imprensa, embora conste no Boletim de Ocorrência, registrado no 4º Distrito Policial da Consolação, no centro da cidade; o documento foi divulgado pela Revista Fórum, assim como a foto do autor do crime; de acordo com o site, Gustavo retirou todos os seus perfis das redes sociais logo após a mensagem se espalhar pelas redes internas (Foto: Gisele Federicce)

SP 247 - O estudante da Fundação Getulio Vargas (FGV) João Gilberto Pereira Lima, que foi vítima de injúria racial nesta semana por um outro aluno da instituição, prestou depoimento na tarde desta sexta-feira 9 no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para falar sobre o caso. Ele registrou boletim de ocorrência por injúria racial e o autor da foto foi suspenso da faculdade por 3 meses, segundo informações do portal G1.

"Não é só uma mensagem maldosa, é um crime", disse João, que estuda administração pública na faculdade de São Paulo. O autor do crime, o estudante Gustavo Metropolo, tirou uma foto de João numa área de convivência da universidade e postou junto com a seguinte mensagem num grupo de WhatsApp: "Achei esse escravo no fumódromo! Quem for o dono avisa!".

Curiosamente, o nome do agressor não foi divulgado pelos veículos de imprensa, embora conste no Boletim de Ocorrência, registrado no 4º Distrito Policial da Consolação, no centro da cidade. O documento foi divulgado pela Revista Fórum, assim como a foto do autor do crime. De acordo com o site, Gustavo Metropolo retirou todos os seus perfis das redes sociais logo após a mensagem se espalhar pelas redes internas. Confira aqui o posicionamento da FGV.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247