Nilo diz que será reeleito presidente da Assembleia com 44 votos

Apesar do aparente desgaste de sua candidatura de reeleição, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Marcelo Nilo (PSL), mantém o otimismo e afirma que sairá vitorioso do pleito com pelo menos 44 votos entre os 63 parlamentares; ele minimiza o apoio de dois deputados de seu partido, Manassés e Alan Castro, ao adversário Ângelo Coronel, do PSD; "Conheço bem as pessoas, e os dois não estavam nas minhas contas há muitos e muitos meses. Eu respeito. É uma decisão deles. Acho que é o processo democrático. Eu ia ganhar com 46 votos. Agora, vou ganhar com 44", diz Nilo

Marcelo Nilo
Marcelo Nilo (Foto: Romulo Faro)

Romulo Faro/Bahia 247 - Apesar do aparente desgaste de sua candidatura de reeleição, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), deputado Marcelo Nilo (PSL), mantém o otimismo e afirma que sairá vitorioso do pleito com pelo menos 44 votos entre os 63 parlamentares.

Em almoço de adesão à sua candidatura, ele minimizou o apoio de dois deputados de seu partido, Manassés e Alan Castro, ao adversário Ângelo Coronel, do PSD, partido do senador Otto Alencar e também da base de apoio ao governador Rui Costa (PT). "Conheço bem as pessoas, e os dois não estavam nas minhas contas há muitos e muitos meses. Eu respeito. É uma decisão deles. Acho que é o processo democrático. Eu ia ganhar com 46 votos. Agora, vou ganhar com 44".

Marcelo Nilo já dá como certo o apoio da bancada de oposição para chegar aos 44 votos que ele garante ter.

"A oposição vai decidir sábado. Estou com muita esperança de eles me apoiarem. Sempre respeitei a oposição na Casa, tenho uma boa relação com todos os deputados. Estive com ACM Neto (DEM) ontem (quarta-feira, 25). Procurei ele, conversamos pela segunda vez. São pessoas que tenho certeza absoluta que tem projetos políticos, e eles vão avaliar a minha história e história do Coronel. Vão decidir fruto do passado, do presente e do futuro", afirmou Nilo, que exerce o quinto mandato consecutivo (dez anos) de presidente da Assembleia Legislativa e quer chegar ao sexto.

Ainda sem a adesão da bancada da minoria, Marcelo Nilo diz que já tem 30 votos assegurados.

"Os 30 companheiros estão me apoiando. É óbvio que a eleição é secreta, e eu gostaria de dizer a vocês da imprensa que a relação pessoal pesa muita na hora do voto. Então eu estou convencido de que eu terei esses 44 votos", disse o presidente da Assembleia, reafirmando a conquista que ele espera ter dos opositores ao governo do Estado. Dos 30 deputados que o apoiam, 26 estavam presentes ao almoço.

"Em Nilo eu não voto", diz correligionário do presidente

Filiado ao PSL de Marcelo Nilo, o deputado Alan Castro disse que decidiu votar em Coronel, do PSD, após se reunir com o presidente do partido na Bahia, senador Otto Alencar.

"Apesar de eu ser do PSL, sou um deputado que teve quase 22 mil votos em Salvador e sou cobrado pela população pela renovação da Casa. Tem um desgaste muito grande de Nilo dentro do meu partido pela sexta reeleição. Acho que não é salutar pela democracia a gente manter Nilo mais dois anos na presidência da Assembleia. Todos têm competência para assumir aquela Casa, posso votar em Coronel ou em Luiz, mas em Nilo eu não voto", afirmou Alan Castro em entrevista à rádio Metrópole. Vale lembrar que Marcelo Nilo é o presidente do PSL na Bahia.

Para o deputado, apesar de ser do partido de Nilo, ele considera que o tempo do presidente à frente do Legislativo baiano "já se esgotou".

"Acho que chegou a hora de mudar, a democracia pede. A gente tem que oxigenar a Casa sim, trazer novas ideias, novos projetos. Devem ser priorizados projetos de deputados para serem votados, não só projetos do governo. Nada de deputado na Assembleia é aprovado, a não ser título, a gente fica triste".

Ângelo Coronel comemorou a adesão dos correligionários de seu adversário. "São dois nomes importantes".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247