CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Nível dos rios baixa, mas estado segue em alerta

O nível dos rios no interior do estado está baixando aos poucos, mas o alerta continua com a previsão de mais chuvas para esta nas regiões do Litoral, Zona da Mata e Baixo São Francisco, conforme informações da Defesa Civil Estadual; a orientação para as famílias que tiveram que deixar as casas é que não retornem às residências até nova orientação do órgão; em cinco dias, choveu 119 milímetros, sendo que o esperado para todo o mês de julho era de 230 milímetros, conforme previsão meteorológica; em junho, a previsão era de 260, mas choveu 308 milímetros  

Imagem Thumbnail
O nível dos rios no interior do estado está baixando aos poucos, mas o alerta continua com a previsão de mais chuvas para esta nas regiões do Litoral, Zona da Mata e Baixo São Francisco, conforme informações da Defesa Civil Estadual; a orientação para as famílias que tiveram que deixar as casas é que não retornem às residências até nova orientação do órgão; em cinco dias, choveu 119 milímetros, sendo que o esperado para todo o mês de julho era de 230 milímetros, conforme previsão meteorológica; em junho, a previsão era de 260, mas choveu 308 milímetros   (Foto: Leonardo Lucena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

GazetaWeb.com - O nível dos rios no interior do estado está baixando aos poucos, mas o alerta continua com a previsão de mais chuvas para esta segunda-feira (6) nas regiões do Litoral, Zona da Mata e Baixo São Francisco, conforme informações da Defesa Civil Estadual. A orientação para as famílias que tiveram que deixar as casas é que não retornem às residências até nova orientação do órgão. 

De acordo com informações do sargento Aldérico, a previsão da meteorologia é de pancadas de chuvas nesta segunda-feira, mas nada que possa provocar o transbordamento dos rios. Por isso, o órgão continua em estado de alerta, monitorando algumas regiões de Alagoas. 

“O volume de chuva esperado não causará transbordamentos, até porque os níveis estão baixando aos poucos. O nosso papel, agora, é acompanhar o interior e auxiliar a Defesa Civil municipal, orientando as famílias que deixaram suas casas a permanecerem onde estão enquanto a situação não voltar ao normal”, comentou o sargento. 

Em Maceió 

O coordenador da Defesa Civil Municipal de Maceió, Dinário Lemos, informou que é preocupante a situação de algumas regiões da capital, como o Mutange e o Vale do Reginaldo. Em cinco dias, choveu 119 milímetros, sendo que o esperado para todo o mês de julho era de 230 milímetros, conforme previsão meteorológica. Em junho, a previsão era de 260, mas choveu 308 milímetros. 

“Nossa maior preocupação é com as barreiras encharcadas, o que pode provocar a queda, conhecida tecnicamente como deslocamento de massa. Portanto, hoje, vamos continuar as visitas, orientando as famílias que moram em áreas de risco e colocando lonas nas barreiras críticas para evitar o encharcamento”, explicou Dinário, citando que a previsão para Maceió é de chuvas moderadas a fracas neste início de semana. 

Nível dos rios

No sábado (4), o rio Jacuípe transbordou e invadiu as ruas da cidade de mesmo nome, situada a 125 km de Maceió, deixando várias famílias desabrigadas. O rio também banha os municípios alagoanos de Ibateguara, Colônia Leopoldina e Campestre.

Uma elevação no nível das águas também foi registrada nos rios Camaragibe, Santo Antônio, Paraíba e Mundaú, que banham diversas cidades alagoanas, mas eles não chegaram a transbordar.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO