No Brasil, Blatter responde sobre corrupção

Presidente da Fifa queria falar sobre o sorteios dos grupos das Eliminatrias, mas perguntas foram outras

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Em pouco mais de uma hora de entrevista coletiva, na tarde desta quarta-feira, na Marina da Glória, no Rio, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, teve de responder a várias perguntas sobre as denúncias de corrupção contra a entidade. A intenção do dirigente era falar sobre o sorteio dos grupos das Eliminatórias do Mundial de 2014, marcado para sábado, também no Rio. Ele até conseguiu dar algumas informações a respeito do evento, mas ocupou a maior parte do tempo para abordar o tema "corrupção".

Entre outras coisas, Blatter disse que não comentaria decisão recente do Comitê de Ética da Fifa, que decidiu banir o dirigente catariano Mohamed Bin Hammam do futebol - o ex-presidente da Confederação Asiática de Futebol esteve envolvido em denúncias de compra de votos para a última eleição da Fifa, que reelegeu Blatter.

Bin Hammam chegou a acusar o presidente da Fifa de ser conivente com várias esquemas de corrupção na Fifa, comparando a entidade com uma ditadura. "Eu não sou um ditador", rebateu Blatter, na entrevista desta quarta-feira, ao ser questionado sobre os motivos que alguém teria para confiar nele.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email