No primeiro mês, inércia de Iris surpreende Goiânia

O mês de janeiro se encerra sem o prefeito Iris Rezende (PMDB) ter conseguido imprimir o ritmo forte de trabalho que prometeu insistentemente na campanha; além de demorar a escolher os secretários, Iris selecionou agentes públicos enrolados com a Justiça; um deles é acusado de desviar merenda escolar na gestão de Paulo Garcia e chegou a ser afastado da prefeitura; chama a atenção também a agenda do prefeito, marcada pelo excesso de reuniões e audiências fechadas no Paço Municipal

O mês de janeiro se encerra sem o prefeito Iris Rezende (PMDB) ter conseguido imprimir o ritmo forte de trabalho que prometeu insistentemente na campanha; além de demorar a escolher os secretários, Iris selecionou agentes públicos enrolados com a Justiça; um deles é acusado de desviar merenda escolar na gestão de Paulo Garcia e chegou a ser afastado da prefeitura; chama a atenção também a agenda do prefeito, marcada pelo excesso de reuniões e audiências fechadas no Paço Municipal
O mês de janeiro se encerra sem o prefeito Iris Rezende (PMDB) ter conseguido imprimir o ritmo forte de trabalho que prometeu insistentemente na campanha; além de demorar a escolher os secretários, Iris selecionou agentes públicos enrolados com a Justiça; um deles é acusado de desviar merenda escolar na gestão de Paulo Garcia e chegou a ser afastado da prefeitura; chama a atenção também a agenda do prefeito, marcada pelo excesso de reuniões e audiências fechadas no Paço Municipal (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - O mês de janeiro se encerra sem o prefeito Iris Rezende (PMDB) ter conseguido imprimir o ritmo forte de trabalho que prometeu insistentemente na campanha. Para se contrapor ao caos administrativo da gestão de Paulo Garcia (PT), que era acusado de se omitir dos problemas principais da Capital, Iris adotou um discurso de homem madrugador, disposto a resolver todas as demandas rapidamente. "Quando eu assumo, de repente, as coisas começam a acontecer. As máquinas começam a roncar", dizia o peemedebista na campanha.

Até este 31 de janeiro, nada disso saiu do papel. O estranhamento começou quando Iris anunciou o secretariado pela metade. Alguns secretários acumularam funções em pastas importantes e só depois o cacique peemedebista concluiu a equipe de primeiro escalão. Porém, outros cargos de relevância, em áreas como saúde e educação, continuam vagos.

Além de demorar a escolher os secretários, Iris selecionou agentes públicos enrolados com a Justiça. Um deles é acusado de desviar merenda escolar na gestão de Paulo Garcia e chegou a ser afastado da prefeitura. 

Chama a atenção também a agenda do prefeito, marcada pelo excesso de reuniões e audiências fechadas no Paço Municipal. Na campanha, Iris também garantiu que retomaria os mutirões, que são as ações na rua e que mobilizam auxiliares e cidadãos. Apenas foi feito até agora, contra a dengue.

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247