No RS, 82% querem Diretas e a ampla maioria rejeita as reformas de Temer

Levantamento do Instituto de Pesquisa Social e Acessibilidade (Ipesa), contratado pela CUT-RS, apontou que 82,6% dos gaúchos querem eleição direta para presidente da República; a pesquisa avaliou a opinião dos entrevistados sobre as reformas da Previdência e Trabalhista; esta última foi rejeitada por 62,4% dos entrevistados; a da Previdência teve uma rejeição ainda maior: 72,4%; questionados sobre a privatização das empresas públicas CEEE, Sulgás, Companhia Riograndense de Mineração (CRM), Corsan, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Petrobrás, 67,6% dos entrevistados manifestaram-se contra essa proposta

Levantamento do Instituto de Pesquisa Social e Acessibilidade (Ipesa), contratado pela CUT-RS, apontou que 82,6% dos gaúchos querem eleição direta para presidente da República; a pesquisa avaliou a opinião dos entrevistados sobre as reformas da Previdência e Trabalhista; esta última foi rejeitada por 62,4% dos entrevistados; a da Previdência teve uma rejeição ainda maior: 72,4%; questionados sobre a privatização das empresas públicas CEEE, Sulgás, Companhia Riograndense de Mineração (CRM), Corsan, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Petrobrás, 67,6% dos entrevistados manifestaram-se contra essa proposta
Levantamento do Instituto de Pesquisa Social e Acessibilidade (Ipesa), contratado pela CUT-RS, apontou que 82,6% dos gaúchos querem eleição direta para presidente da República; a pesquisa avaliou a opinião dos entrevistados sobre as reformas da Previdência e Trabalhista; esta última foi rejeitada por 62,4% dos entrevistados; a da Previdência teve uma rejeição ainda maior: 72,4%; questionados sobre a privatização das empresas públicas CEEE, Sulgás, Companhia Riograndense de Mineração (CRM), Corsan, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica e Petrobrás, 67,6% dos entrevistados manifestaram-se contra essa proposta (Foto: Leonardo Lucena)

Sul 21 - Mais de 67% da população gaúcha é contra a privatização de empresas públicas, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Social e Acessibilidade (Ipesa), contratada pela Central Única de Trabalhadores no Rio Grande do Sul (CUT-RS) para avaliar a opinião da população sobre a atual crise política no país, as reformas da Previdência e Trabalhista e a privatização de empresas públicas no Estado, entre outros temas. O trabalho de campo da pesquisa foi realizado no dia 27 de maio e ouviu 1.503 pessoas, em 63 municípios das sete regiões do Estado.

Questionados sobre a privatização das empresas públicas CEEE, Sulgás, Companhia Riograndense de Mineração (CRM), Corsan, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Petrobrás, 67,6% dos entrevistados manifestaram-se contra essa proposta. 22% posicionaram-se a favor, 7,7% não opinaram e 2,8% se disseram indiferentes ao tema.

Uma ampla maioria dos entrevistados (82,6%) apontou a realização de Diretas Já como alternativa para a superação da atual crise política no Brasil. Apenas 6,6% manifestaram-se favoráveis à realização de eleições indiretas e 5,7% preferiram não opinar. As manifestações de rua contra o governo federal receberam o apoio de 71,3% dos entrevistados. Apenas 15,2% disseram estar contra essas manifestações, enquanto 13,4% se disseram indiferentes em relação às mesmas.

A pesquisa também avaliou a opinião dos entrevistados sobre as reformas da Previdência e Trabalhista. Esta última foi rejeitada por 62,4% dos entrevistados. Apenas 22,8% manifestaram-se favoravelmente a ela, enquanto 10,4% mostraram-se indiferentes. A Reforma da Previdência teve uma rejeição ainda maior: 72,4%. Apenas 9,9% disseram ser a favor dessa reforma e outros 16,3% preferiram não opinar ou se manifestaram indiferentes.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247