Nome de Mendonça ganha força como ministeriável

Na composição ministerial que está sendo desenhada pelo vice Michel Temer (PMDB) para ocupar a Esplanada em um eventual governo sob sua tutela, o DEM - um dos principais de oposição ao governo Dilma Rousseff e um dos maiores defensores da abertura do processo de impeachment - seria aquinhoado com o Ministério das Comunicações; caso isto se confirme, o nome do deputado Mendonça Filho (DEM-PE) aparece como um dos mais cotados para assumir a pasta ao lado dos correligionários Ronaldo Caiado (DEM-GO) e José Carlos Aleluia (BA); Mendonça Filho, que foi líder da legenda na Câmara e já governou o Estado de Pernambuco, ganhou destaque nos últimos seis meses pela sua atuação contra o governo e em defesa do impeachment

mendonça filho
mendonça filho (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pernambuco 247 - O DEM, um dos primeiros partidos de oposição a engrossar o coro pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, deverá ser aquinhoado com um ministério em um eventual governo do vice Michel Temer (PMDB). Na composição ministerial que está sendo desenhada por Temer, os democratas ficariam com o Ministério das Comunicações e o nome do deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE) está cotado para assumir a pasta. Outros nomes avaliados, porém, são o dos deputados Ronaldo caiado (DEM-GO) e José Carlos Aleluia (BA).

Mendonça Filho, que foi líder da legenda na Câmara e já governou o Estado de Pernambuco, ganhou destaque nos últimos seis meses pela sua atuação contra o governo e em defesa do afastamento da presidente Dilma Rousseff. Já Caiado fez sua trajetória politica em meio à bancada ruralista e já exerceu o cargo de senador por Goiás. Aleluia, por sua vez, já foi presidente da Chesf e também se destacou na viabilização da abertura do processo de impeachment.

Já lideranças de peso do partido, como o senador José Agripino (RN) e Pauderney Avelino (AM) não são vistos como opções viáveis. Agripino é alvo de investigação pelo Ministério Público potiguar e Pauderney não teria peso politico o bastante para ocupar um ministério.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247