Novo comandante da PM pede união para diminuir violência no estado

Em discurso de posse, o novo comandante geral da PM, coronel Vanildo Maranhão, afirmou que a "corporação precisa mais do que nunca da união e do espírito de combatividade de todos os seus policiais, do soldado ao coronel, para juntos e irmanados exercermos a sua nobre missão constitucional e garantir os objetivos do Pacto pela Vida, vencendo uma batalha de casa vez a fim de conquistarmos a tão almejada vitória final. Rumo a uma sociedade mais segura e pacífica para todos os pernambucanos"

Em discurso de posse, o novo comandante geral da PM, coronel Vanildo Maranhão, afirmou que a "corporação precisa mais do que nunca da união e do espírito de combatividade de todos os seus policiais, do soldado ao coronel, para juntos e irmanados exercermos a sua nobre missão constitucional e garantir os objetivos do Pacto pela Vida, vencendo uma batalha de casa vez a fim de conquistarmos a tão almejada vitória final. Rumo a uma sociedade mais segura e pacífica para todos os pernambucanos"
Em discurso de posse, o novo comandante geral da PM, coronel Vanildo Maranhão, afirmou que a "corporação precisa mais do que nunca da união e do espírito de combatividade de todos os seus policiais, do soldado ao coronel, para juntos e irmanados exercermos a sua nobre missão constitucional e garantir os objetivos do Pacto pela Vida, vencendo uma batalha de casa vez a fim de conquistarmos a tão almejada vitória final. Rumo a uma sociedade mais segura e pacífica para todos os pernambucanos" (Foto: Leonardo Lucena)

Pernambuco 247 - O novo comandante geral da Polícia Militar, coronel Vanildo Maranhão, fez, nesta segunda-feira (20), um apelo para a união da corporação com o objetivo de reerguer o programa Pacto Pela Vida. A declaração foi um contexto no qual os índicesde criminalidade estão preocupantes. Dados divulgados pela Secretaria de Defesa Social apontaram que, nos 31 dias do mês de janeiro deste ano, Pernambuco teve 479 homicídios, o maior número de assassinatos no estado dos últimos dez anos. Há uma década, em janeiro de 2007, foram contabilizadas 459 mortes violentas.

"Nossa corporação precisa mais do que nunca da união e do espírito de combatividade de todos os seus policiais, do soldado ao coronel, para juntos e irmanados exercermos a sua nobre missão constituicional e garantir os objetivos do Pacto pela Vida, vencendo uma batalha de casa vez a fim de conquistarmos a tão almejada vitória final. Rumo a uma sociedade mais segura e pacífica para todos os pernambucanos", disse Maranhão, em discurso de posse.

Os 479 assassinatos em janeiro representam 10,69% do total registrado em todo o ano de 2016. No Recife, 70 assassinatos foram registrados em janeiro de 2017, o equivalente a 10,63% dos 658 casos de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLI) registrados no ano passado na capital. Na série anual, foram contabilizados 4.479 homicídios no estado em 2016, o número mais alto desde 2009, dois anos após a criação do Pacto Pela Vida.

Segundo dados divulgados pela assessoria da pasta, no final do mês passado, o número de homicídios em Pernambuco aumentou 44,5% em três anos, se comparar os 4.479 homicídios no estado com 3.101 de 2013, o melhor ano do Pacto Pela Vida.

Maranhão afirmou estar ciente dos grandes desafios que enfrentará enquanto estiver no cargo. "Ao assumir o comando geral da Polícia Militar, temos a certeza de que enfrentaremos grandes desafios, contudo, não deverão ser encarados como grandes obstáculos, capazes de nos fazer recuar, isso jamais, mas sim como oportunidades de crescimento e superação", acrescentou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247