Novo prefeito cancela aumento de 18% na tarifa de ônibus em Guarulhos

Logo após a cerimônia de posse, o novo prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSB), conhecido por Guti, declarou que vai cancelar o aumento de 18,42% nas passagens de ônibus no município; decisão da gestão anterior, do prefeito Sebastião Almeida (PT), previa aumento de R$ 3,80 para R$ 4,50; como o reajuste pegou a população de surpresa no dia 29 de dezembro, a Justiça determinou a suspensão temporária; a decisão partiu de uma ação popular que foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Estado, na Comarca de Guarulhos

Logo após a cerimônia de posse, o novo prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSB), conhecido por Guti, declarou que vai cancelar o aumento de 18,42% nas passagens de ônibus no município; decisão da gestão anterior, do prefeito Sebastião Almeida (PT), previa aumento de R$ 3,80 para R$ 4,50; como o reajuste pegou a população de surpresa no dia 29 de dezembro, a Justiça determinou a suspensão temporária; a decisão partiu de uma ação popular que foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Estado, na Comarca de Guarulhos
Logo após a cerimônia de posse, o novo prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSB), conhecido por Guti, declarou que vai cancelar o aumento de 18,42% nas passagens de ônibus no município; decisão da gestão anterior, do prefeito Sebastião Almeida (PT), previa aumento de R$ 3,80 para R$ 4,50; como o reajuste pegou a população de surpresa no dia 29 de dezembro, a Justiça determinou a suspensão temporária; a decisão partiu de uma ação popular que foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Estado, na Comarca de Guarulhos (Foto: Romulo Faro)

Fernanda Cruz – repórter da Agência Brasil

Logo após a cerimônia de posse, o novo prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSB), conhecido por Guti, declarou que vai cancelar o aumento de 18,42% nas passagens de ônibus no município. A decisão da gestão anterior, do prefeito Sebastião Almeida (PT), previa aumento de R$ 3,80 para R$ 4,50.

Como o reajuste pegou a população de surpresa no dia 29 de dezembro, a Justiça determinou a suspensão temporária. A decisão partiu de uma ação popular que foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na Comarca de Guarulhos.

A antiga gestão havia informado que, após a suspensão, os novos valores voltariam a vigorar na cidade. A justificativa para o aumento era alta dos custos dos insumos.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247