Número de homicídios tem queda de 19,49% em 2013

Dados foram divulgados no Boletim Mensal de Estatísticas da Secretaria de Estado de Defesa Social; redução, nos primeiros sete meses do ano, também aconteceu na Região Metropolitana da capital; enquanto de janeiro a julho de 2012 foram 472 mortes por homicídio na capital, em 2013, esta estatística chegou a 380 registros

Número de homicídios tem queda de 19,49% em 2013
Número de homicídios tem queda de 19,49% em 2013
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Minas - Os registros de homicídios em Belo Horizonte caíram 19,49% nos primeiros sete meses de 2013, em comparação ao mesmo período do ano passado. Enquanto de janeiro a julho de 2012 foram 472 mortes por homicídio na capital, em 2013, esta estatística chegou a 380 registros. Os números foram publicados no Boletim Mensal de Estatísticas da Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) e já estão disponíveis no site da pasta.

Na Região Metropolitana, também há queda de 1,5% nos homicídios consumados na avaliação dos primeiros sete meses: foram 1.066 ocorrências entre janeiro e julho de 2012 contra 1.050 em 2012. Já no Estado, há ligeiro aumento de 2,32% deste tipo de crime, com 52 mortes a mais no cálculo dos 853 municípios mineiros para o período, o que o secretário Rômulo Ferraz espera estabilizar até o final do ano. "Temos conseguido diminuir todos os tipos de crimes desde abril, com perspectiva de ainda mais redução no segundo semestre." Foram 2.243 homicídios no Estado entre janeiro e julho de 2012, contra 2.295 no mesmo período deste ano.

Como destaca o secretário, a curva decrescente das estatísticas nos últimos meses demonstra os trabalhos integrados realizados entre a secretaria e as polícias Militar e Civil. Desde abril, os homicídios diminuíram 8,36% em Minas Gerais, passando de 323 ocorrências para 296. Na Região Metropolitana, o acumulado desde abril também aponta queda de 8% nas estatísticas de homicídios consumados. Foram 150 ocorrências de homicídios em abril deste ano nas Regiões Integradas de Segurança Pública (Risps) 1, 2 e 3 contra 138 em julho.

Entre os crimes violentos (agrupamento de sequestros e cárceres privados, roubos consumados, extorsão mediante sequestro, homicídios tentados e consumados e estupros consumados e tentados) e crimes violentos contra o patrimônio (roubos e extorsões mediante sequestro), também há quedas nos últimos três meses, apesar do aumento das taxas entre junho e julho. De acordo com o secretário, uma das dificuldades na redução da taxa de crimes violentos contra o patrimônio, principalmente, é a legislação vigente, que dificulta o acautelamento dos praticantes de roubo, levando-os a reincidência.

Integração e investimentos

Para o secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz, os dados aferidos nas estatísticas dos últimos meses, principalmente os relacionados ao crime de homicídio, são resultado de uma série de ações que estão sendo desenvolvidas de forma integrada pelo sistema de Defesa Social.

Entre os destaques, o secretário cita a eleição de 13 municípios prioritários, que juntos englobam a maior parte dos crimes violentos, para trabalhos do Igesp Focal – a Integração da Gestão da Segurança Pública com métodos, reuniões e ações priorizadas nestas cidades.

"Entre as ações desenvolvidas, estão, por exemplo, a identificação de um número específico de alvos para prisão, entre criminosos que tenham praticado vários crimes, sobretudo roubos, e ainda estejam soltos", destaca Rômulo Ferraz.

O secretário também ressalta a realização das Operações Impacto, em parceria com o Ministério Público, mensalmente, em 13 municípios, como importante frente aos crimes violentos. "Nestas operações, há expedição de mandados de prisão e cautelares de busca e apreensão, além de abordagens de rua."

As operações Divisas Seguras, que fiscalizam estradas e rodovias que cortam Minas e já levaram a prisão de 109 pessoas e abordagem de mais de 150 mil veículos em todo o Estado, também foram citadas. "São abordagens que acontecem em mais de cem pontos de divisas do Estado, em datas coincidentes, em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Receitas Estadual e Federal", contou.

O secretário também lembra o empenho das polícias, que levaram ao aumento, neste ano, do número de prisões. Foram realizadas 5.534 prisões de suspeitos a mais em todo o Estado no primeiro semestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Um acréscimo de 13,26% nas detenções, que passaram de 36.205 nos seis primeiros meses de 2012 para 41.739 no primeiro semestre de 2013.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247