O dedo de Eduardo na disputa do PT

Governador teria sinalizado positivamente a deciso do deputado federal Joo Paulo apoiar a pr-candidatura do secretrio Maurcio Rands no embate contra o prefeito Joo da Costa pela indicao do PT sucesso do Recife; Porm, o socialista no quer alarde sobre sua movimentao

O dedo de Eduardo na disputa do PT
O dedo de Eduardo na disputa do PT (Foto: Aluísio Moreira/SEI)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 – A decisão do deputado federal João Paulo, de apoiar a pré-candidatura do secretário estadual de Governo, Maurício Rands, nas prévias petistas contra o prefeito do Recife, João da Costa, teve um personagem crucial não publicizado: o governador Eduardo Campos (PSB). Antes de anunciar o seu posicionamento, o ex-prefeito conversou com diversas lideranças do partido e da Frente Popular, inclusive com o socialista. Comenta-se, nos bastidores, que, sem o aval de Campos, João Paulo não teria se colocado como parceiro de Rands em sua empreitada.

A falta de publicidade no encontro do governador com o ex-prefeito se deve à vontade do próprio Eduardo de não querer aparecer no meio de uma disputa interna do PT. Porém, o socialista entende que se deixasse o barco apenas nas mãos dos petistas as primárias do partido aliado poderiam tomar um caminho muito prejudicial para a Frente Popular.

O próprio fato de o secretário Maurício Rands ter se lançado às prévias indica que o governador não vê problemas na postulação do auxiliar. É notório que, se não aprovasse a empreitada do petista, Eduardo teria dado o freio de arrumação que lhe parecesse necessário.

O delicado neste caso é que Rands disputa a indicação do partido contra um prefeito eleito e que ainda tem oito meses de mandato a cumprir. Caso o secretário de Governo vença a disputa interna, há a preocupação, no Palácio do Campo das Princesas, de como a gestão do Recife será tocada.

Nos bastidores, secretários e técnicos do Governo do Estado não economizam nas críticas à gestão comandada pelo prefeito João da Costa. Adjetivos como “lenta, centralizada e inoperante” são comumente relacionados à administração do petista. E a possibilidade de uma derrota do gestor nas prévias é vista como um caminho para que essa situação piore até o final do governo. O governador Eduardo Campos, claro, trabalha com esse quadro.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email