O estranho caso de doação de campanha em Anápolis

Vereadora que integra o grupo de Wesley Silva, preso na Operao Saint Michel, recebeu mais de R$ 145 mil em doaes de campanha de Carlos Leria, que est na mira da CPMI de Cachoeira

O estranho caso de doação de campanha em Anápolis
O estranho caso de doação de campanha em Anápolis (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 – Quase dois meses depois de se tornar o centro das atenções com a prisão de Carlos Cachoeira na Operação Monte Carlo, a cidade de Anápolis, em Goiás, voltou a ser alvo dos olhos do Brasil com a prisão de mais envolvidos em esquemas ilegais envolvendo o Governo do Distrito Federal. Desta vez, um vereador da cidade natal de Cachoeira foi preso. Trata-se de Wesley Silva (PMDB). Mas ele pode não ser o único a ter de prestar esclarecimentos sobre sua conduta como agente público e sobre suas relações com os homens-fortes de Carlos Cachoeira.

Pertencente ao mesmo grupo político de Wesley Silva na Câmara Municipal, a vereadora Gina Tronconi (PPS) tem uma história no mínimo estranha para explicar. Candidata a deputada estadual nas eleições de 2010, Tronconi recebeu R$ 154.515,00 em doações oficiais de campanha, de acordo com as planilhas do TSE. Deste montante, nada menos que R$ 143.015,00 foram doados a partir de uma única fonte: o deputado federal Carlos Alberto Leréia, um dos principais envolvidos no esquema de propinas de Cachoeira.

Ainda mais curioso é que, de acordo com militantes políticos e até mesmo colegas da vereadora na Câmara Municipal, Gina não fez campanha. “Ela não foi às ruas, parece que fez uma candidatura só de nome, porque não correu atrás de nada”, afirma um experiente político da cidade. De fato, o resultado da votação aponta para esta direção: Gina Tronconi teve pouco mais de 5 mil votos.

Acredita-se que Gina Tronconi pode ser mais que um braço da rede de influências financeiras de Carlos Cachoeira. Ela pode representar um dos elos da grande corrente que envolveriam Cachoeira com Leréia (flagrado em gravações recebendo propina embalada em jornal), Wesley Silva com Cláudio Abreu (sócio de Cachoeira em quase todos os negócios ilegais) e, então, Gina com Leréia e Wesley Silva, fechando, assim, uma grande rede envolvendo política, distribuição de verbas de campanha e influência nas questões de interesse coletivo.

Ironia

A dobradinha com Carlos Leréia (PSDB), então candidato à reeleição para a Câmara Federal, tem outros traços mistérios a serem esclarecidos. Amplo defensor do lobby da indústria farmoquímica no estado de Goiás, Leréia escolheu para fazer parceria em Anápolis a única política que se elegeu à Câmara Municipal por conta de uma briga que se arrasta há anos com uma indústria de produtos médicos.

A relação quase bélica da família de Gina Tronconi com a indústria Novapharma por conta de uma área comum de sua residência com os limites da empresa foi transformada em uma luta política de todo o bairro, culminando na sua eleição em 2008. Dois anos depois, Gina se aliava a Leréia, porta-voz político do segmento. E mais: a Novapharma, alvo dos ataques de Tronconi por anos, foi um dos principais doadores da campanha de Leréia. O mesmo dinheiro que escoou para a tímida campanha de Tronconi. Qual o propósito de sua candidatura e como foi usado este dinheiro, somente a vereadora poderá responder.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email