"O PT só enxerga o PMDB como parceiro na hora de limpar a sujeira"

Vice-líder do PMDB na Câmara, Lúcio Vieira Lima endossa o coro da ala 'rebelde' e deixa claro que a relação com o PT está estremecida; "O PT só enxerga o PMDB como parceiro na hora de limpar a sujeira"; ele diz ainda que os peemedebistas não têm "obrigação" de blindar membros do PT em investigações; "Não vamos fazer como naqueles filmes em que um grupo mata e depois entra a turma da limpeza. A coligação com o PT não me obriga, por exemplo, a proteger tesoureiro de partido"; Lúcio se refere a João Vaccari Neto, tesoureiro do PT citado na Operação Lava Jato

Vice-líder do PMDB na Câmara, Lúcio Vieira Lima endossa o coro da ala 'rebelde' e deixa claro que a relação com o PT está estremecida; "O PT só enxerga o PMDB como parceiro na hora de limpar a sujeira"; ele diz ainda que os peemedebistas não têm "obrigação" de blindar membros do PT em investigações; "Não vamos fazer como naqueles filmes em que um grupo mata e depois entra a turma da limpeza. A coligação com o PT não me obriga, por exemplo, a proteger tesoureiro de partido"; Lúcio se refere a João Vaccari Neto, tesoureiro do PT citado na Operação Lava Jato
Vice-líder do PMDB na Câmara, Lúcio Vieira Lima endossa o coro da ala 'rebelde' e deixa claro que a relação com o PT está estremecida; "O PT só enxerga o PMDB como parceiro na hora de limpar a sujeira"; ele diz ainda que os peemedebistas não têm "obrigação" de blindar membros do PT em investigações; "Não vamos fazer como naqueles filmes em que um grupo mata e depois entra a turma da limpeza. A coligação com o PT não me obriga, por exemplo, a proteger tesoureiro de partido"; Lúcio se refere a João Vaccari Neto, tesoureiro do PT citado na Operação Lava Jato (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Vice-líder do PMDB na Câmara, o deputado federal baiano Lúcio Vieira Lima endossa o coro da ala 'rebelde' e deixa claro que a relação com o PT está estremecida de fato. "O PT só enxerga o PMDB como parceiro na hora de limpar a sujeira", disse o parlamentar ao Blog de Josias de Souza. 

Lúcio diz ainda que os peemedebistas não têm "obrigação" de tentar blindar membros do PT em investigações em suspeitas de corrupção. "Nós não vamos fazer como naqueles filmes em que um grupo mata e depois entra a turma da limpeza. A coligação com o PT não me obriga, por exemplo, a proteger tesoureiro de partido". Ele se refere a João Vaccari Neto, tesoureiro do PT citado na Operação Lava Jato.

Em relação ao caso Vaccari, Lúcio Vieira Lima disse que acertou no voto. "Não participo da CPI para defender o PT. Além disso, votei a favor também da convocação de Sérgio Machado", presidente licenciado da Transpetro e afilhado político do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247