Obras da Alça Viária da Zona Sul são suspensas

Secretaria Estadual de Meio Ambiente alega problemas com as normas de licenciamento e suspende a construo daquela que vista como a melhor alternativa para desafogar o pssimo trnsito da regio de BH

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - As críticas não param, nas rádios, TVs e principalmente internet: a decisão do governo estadual de suspender as obras da Alça Viária da Zona Sul promete ser mais uma dor de cabeça para o governador Antonio Anastasia.

A alça vai ligar a MG-030, em Nova Lima, na Grande BH, à BR-356, no sendido da capital mineira. O motorista em direção a BH passaria por um pontilhão abaixo da estrada de ferro, faria uma curva e pegaria a descida - hoje, ele tem de seguir pelo bairro Belvedere. Em horários de pico, isso é quase impossível, dado o trânsito da região.

A Secretaria de Meio Ambiente, que teve a iniciativa de suspender as obras, alega a presença da Estação Ecológica Cercadinho no local, que constitui uma unidade de conservação de proteção integral.

O problema são os transtornos que as obras já causaram à população. O trânsito foi mudado, com engarrafamentos em vias importantes como a avenida Nossa Senhora do Carmo, Raja Gabaglia e Anel Rodoviário. Além disso, as chuvas do início de ano interromperam o tráfego no túnel ao lado do Shopping Ponteio, o que piorou a situação de quem precisa fazer o retorno para voltar às regiões centrais da cidade.

As obras já haviam sido acordadas no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado em 10 de junho de 2011, entre o Ministério Público Estadual, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente, a Associação dos Amigos do Bairro Belvedere, a Prefeitura de Nova Lima e outras associações ambientais. Foram definidas pelo TAC como compensação do impacto causado na região por empreendimentos erguidos nos bairros vizinhos.

Orçada em R$ 7 milhões, a obra compreende uma trincheira, um viaduto e três pistas de rolamento.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email