Obras do Canal do Sertão geraram propinas para políticos alagoanos

As obras do Canal do Sertão - construído para levar água para agricultores das regiões do Agreste e Sertão alagoano, de acordo com investigações da Operação Lava Jato, serviram como meio para negociação do pagamento de propina a políticos alagoanos; no detalhamento de como funcionou o esquema, o STF divulgou que a troca de influência entre a empresa Odebrecht nas obras resultou no financiamento de políticos

As obras do Canal do Sertão - construído para levar água para agricultores das regiões do Agreste e Sertão alagoano, de acordo com investigações da Operação Lava Jato, serviram como meio para negociação do pagamento de propina a políticos alagoanos; no detalhamento de como funcionou o esquema, o STF divulgou que a troca de influência entre a empresa Odebrecht nas obras resultou no financiamento de políticos
As obras do Canal do Sertão - construído para levar água para agricultores das regiões do Agreste e Sertão alagoano, de acordo com investigações da Operação Lava Jato, serviram como meio para negociação do pagamento de propina a políticos alagoanos; no detalhamento de como funcionou o esquema, o STF divulgou que a troca de influência entre a empresa Odebrecht nas obras resultou no financiamento de políticos (Foto: Voney Malta)

Por cadaminuto.com.br - As investigações da Operação Lava Jato revelaram que as obras do Canal do Sertão – construído para levar água a agricultores das regiões do agreste e sertão alagoano – foram usadas como meio para negociação do pagamento de propina a políticos alagoanos.

Ontem (11), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, determinou a abertura de inquéritos contra políticos e seus aliados citados por delatores como participantes ativos no esquema de corrupção. Entre os nomes divulgados estão os dos senadores Renan Calheiros e Fernando Collor, além do governador do estado, Renan Filho.

No detalhamento de como funcionou o pagamento da propina, o STF divulgou que a troca de influência entre a empresa Odebrech nas obras do canal do sertão, o que resultou no financiamento da campanha de Renan Filho ao governo. Ele mais dois governadores serão investigados.

O governador será investigado por corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro. Em nota, ele declarou que todas as doações feitas durante a campanha foram feitas dentro da lei, declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247