CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Odebrecht não parou com prisão de seu presidente

Blog 'Alô Alô Bahia' faz análise do profissionalismo com que a Odebrecht está reagindo à prisão de seu presidente, Marcelo Odebrecht, pela Operação Lava Jato; "Com Marcelo preso, Emílio Odebrecht, pai, fez o que tinha de fazer - pegou o avião e foi para o escritório de São Paulo trabalhar na maior multinacional brasileira. A filosofia dos Odebrecht sempre envolveu dedicação extrema e uma vida quase espartana de entrega ao trabalho. Comparados a outros empresários brasileiros, os Odebrecht sempre foram exemplo de austeridade. Mas também de arrojo e ousadia", diz o blog

Imagem Thumbnail
Friday, May 29th, 2014 The 2014 McKinsey Global Infrastructure Initiative Rethinking Infrastructure 09:20-10:00 LEVERAGING MEGA-EVENTS TO MEET ECONOMIC DEVELOPMENT AND INFRASTRUCTURE GOALS Large sporting and other mega-events often serve as a cata (Foto: Romulo Faro)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Alo Alo Bahia - Gestos são maiores do que discursos. Com Marcelo preso, Emílio Odebrecht, pai, fez o que tinha de fazer - pegou o avião e foi para o escritório de São Paulo trabalhar na maior multinacional brasileira. A filosofia dos Odebrecht sempre envolveu dedicação extrema e uma vida quase espartana de entrega ao trabalho. Comparados a outros empresários brasileiros, os Odebrecht sempre foram exemplo de austeridade. Mas também de arrojo e ousadia. A situação, no país, já era tensa após a conclusão da delação premiada de Ricardo Pessoa; ainda não homologada pelo Ministro Teori Zarvaski. Mas a queda da Andrade Gutierrez e sobretudo a prisão de Marcelo Odebrecht fizeram a pressão chegar ao máximo. Não há outro assunto e não há outro propósito,no governo, senão achar uma saída para situação. Já há sinais de grave preocupação também nas hostes da oposição. O que Marcelo, irresignado ao ser preso, chamou de "lambança" tem potencial de atingir o PSDB, principal partido de oposição. Se tudo isso já não fosse bastante ruim, o ex-presidente Lula fez ruir a última ponte de papel que o ligava ao governo Dilma Rousseff. Lula, que já vinha subindo o tom, acusa Dilma de frouxidão e fulmina: ela é culpada pelo atual estado das coisas. Contudo, o que já é ruim ainda pode piorar. Num cenário de descontrole e lassidão das regras vigentes, a nuvem negra pode atingir a Câmara, o Senado, FHC, Serra, o alto Judiciário e muitos, muitos governadores e ex-governadores. Um Ministro do STF já avisou que delação premiada não prova nada. Prova se constitui por investigação. No meio jurídico as críticas a operação Lava Jato são generalizadas; o que não muda o fato de que reputações estão destruídas. Caso a situação avance sobre os políticos, o processo muda de foro - sobe pro STF. Caso contrário chegará rapidamente em Lula (como ele mesmo prevê). Como os romanos que esperavam os bárbaros, talvez a homologação da delação de Pessoa resolva alguns desses graves problemas. Nesse cenário de terra arrasada, alguns esperançosos acreditam num novo país. Os pessimistas também acreditam em um novo país, mas vislumbram pobreza e um tipo Berlusconi no poder. Ah! sobre a eventual delação premiada de Marcelo Odebrecht, o comentário geral dos bem informados é: esqueçam!

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO