Oito suspeitos de participação nos ataques em Fortaleza e RMF são presos

Oito pessoas já foram presas, entre esta quarta (19) e quinta-feira (20), por suspeita de envolvimento nos ataques a veículos e prédios em Fortaleza e Região Metropolitana. Na manhã de hoje, foram confirmados quatro ônibus queimados, nos bairros Vila Velha, Castelo Encantado, Padre Andrade e Canindezinho. Apesar disso, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Fortaleza (Sindiônibus) informou que o serviço de transporte coletivo vai continuar normalmente

Oito pessoas já foram presas, entre esta quarta (19) e quinta-feira (20), por suspeita de envolvimento nos ataques a veículos e prédios em Fortaleza e Região Metropolitana. Na manhã de hoje, foram confirmados quatro ônibus queimados, nos bairros Vila Velha, Castelo Encantado, Padre Andrade e Canindezinho. Apesar disso, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Fortaleza (Sindiônibus) informou que o serviço de transporte coletivo vai continuar normalmente
Oito pessoas já foram presas, entre esta quarta (19) e quinta-feira (20), por suspeita de envolvimento nos ataques a veículos e prédios em Fortaleza e Região Metropolitana. Na manhã de hoje, foram confirmados quatro ônibus queimados, nos bairros Vila Velha, Castelo Encantado, Padre Andrade e Canindezinho. Apesar disso, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Fortaleza (Sindiônibus) informou que o serviço de transporte coletivo vai continuar normalmente (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - Mais duas pessoas foram presas, nesta quinta-feira (20), por suspeita de envolvimento nos ataques a veículos e prédio em Fortaleza e Região Metropolitana. Até o momento, oito pessoas já foram presas. Ontem, 21 veículos foram atacados, e hoje foram confirmados quatro ônibus incendiados, nos bairros Vila Velha, Castelo Encantado, Padre Andrade e Canindezinho. 

Apesar dos ataques, o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Fortaleza (Sindiônibus) informou que o serviço de transporte coletivo vai continuar normalmente.

Os ataques começaram após transferência de 360 presos na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga, e na Unidade Prisional Adalberto Barros de Oliveira Leal, conhecida como Carrapicho, em Caucaia. Segundo a secretária da Justiça e Cidadania, Socorro França, elas ocorreram a pedido dos próprios presos.

O secretário de Segurança, André Costa, descartou solicitar apoio da Força Nacional para combater os ataques criminosos.

(Com informações do jornal O Povo)

Leia mais aqui

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247