OMS inclui todo o estado de São Paulo em área de risco de febre amarela

A decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi tomada "considerando o aumento da atividade do vírus" observado na região, informou o secretariado da entidade; "A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente", diz a OMS; Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, o estado registrou 21 mortes por febre amarela silvestre desde janeiro de 2017

A decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi tomada "considerando o aumento da atividade do vírus" observado na região, informou o secretariado da entidade; "A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente", diz a OMS; Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, o estado registrou 21 mortes por febre amarela silvestre desde janeiro de 2017
A decisão da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi tomada "considerando o aumento da atividade do vírus" observado na região, informou o secretariado da entidade; "A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente", diz a OMS; Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, o estado registrou 21 mortes por febre amarela silvestre desde janeiro de 2017 (Foto: Leonardo Lucena)

SP 247 - A Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar nesta terça-feira (16) todo o estado de São Paulo como área de risco de febre amarela. A decisão foi tomada "considerando o aumento da atividade do vírus" observado na região, informou o secretariado da entidade.

"Consequentemente, a vacinação contra a febre amarela é recomendada para viajantes estrangeiros que visitem qualquer área no estado de São Paulo", diz a OMS, em comunicado. "A determinação de novas áreas consideradas de risco de transmissão de febre amarela é um processo contínuo, e atualizações serão fornecidas regularmente", diz a OMS.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, o estado registrou 21 mortes por febre amarela silvestre no estado desde janeiro de 2017. O dado foi divulgado  no último dia 12. Até quinta-feira (11), o estado contabilizava 13 mortes de pessoas que contraíram o vírus.

Desde janeiro deste ano, o estado contabilizou 40 confirmações de casos autóctones (quando a doença é contraída na própria cidade e não vem de pessoas que viajaram para regiões afetadas) de febre amarela silvestre. Antes, 29 casos tinham sido confirmados. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247