Operação do MPCE apreende drogas e mais de 100 celulares em presídio

Deflagrada nesta sexta (24) pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) com apoio da Polícia Militar, a Operação Fronha apreendeu 116 celulares, 61 chips, diversos carregadores, baterias e fones de ouvido nas celas da Casa de Privação Provisória de Liberdade V (CPPL V), localizada em Itaitinga. Também foram encontrados objetos ilícitos como cossocos, documentos que diriam respeito à contabilidade da prática dos crimes de tráfico de drogas e estelionato, trouxas de maconha e papelotes de cocaína

Deflagrada nesta sexta (24) pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) com apoio da Polícia Militar, a Operação Fronha apreendeu 116 celulares, 61 chips, diversos carregadores, baterias e fones de ouvido nas celas da Casa de Privação Provisória de Liberdade V (CPPL V), localizada em Itaitinga. Também foram encontrados objetos ilícitos como cossocos, documentos que diriam respeito à contabilidade da prática dos crimes de tráfico de drogas e estelionato, trouxas de maconha e papelotes de cocaína
Deflagrada nesta sexta (24) pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) com apoio da Polícia Militar, a Operação Fronha apreendeu 116 celulares, 61 chips, diversos carregadores, baterias e fones de ouvido nas celas da Casa de Privação Provisória de Liberdade V (CPPL V), localizada em Itaitinga. Também foram encontrados objetos ilícitos como cossocos, documentos que diriam respeito à contabilidade da prática dos crimes de tráfico de drogas e estelionato, trouxas de maconha e papelotes de cocaína (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) deflagrou, nesta sexta-feira (24/11), no Centro de Execução Penal e Integração Social (Cepis) Vasco Damasceno Weyne, que funciona na Casa de Privação Provisória de Liberdade V (CPPL V), localizada em Itaitinga, a operação Fronha. Com ordem judicial concedida pela Vara de Corregedorias de Presídios, a equipe realizou inspeção extraordinária, visando buscar e apreender celulares, drogas e outros materiais ilícitos.

A operação contou com o apoio da Polícia Militar do Estado do Ceará, através do Batalhão de Choque, e da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), através do Grupo de Apoio Penitenciário (GAP), do Núcleo de Segurança e Disciplina (Nused), da Coordenadoria de Inteligência (Coint) e de agentes penitenciários da unidade.

Todas as celas e alas do presídio foram revistadas, tendo sido encontrados vários objetos ilícitos e proibidos, como cossocos, documentos que diriam respeito à contabilidade da prática dos crimes de tráfico de drogas e estelionato, trouxas de maconha e papelotes de cocaína. Foram encontrados também 116 celulares, 61 chips, diversos carregadores, baterias e fones de ouvido. Os promotores de Justiça que participaram da ação acreditam que os celulares apreendidos eram usados para prática de estelionato, entre outros delitos, por isso, esperam uma diminuição no registro de crimes dessa natureza.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247