CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Oposição na Assembleia vai à lona no primeiro round

Grupo oposicionista, liderado por deputados do PMDB e PT, tentou criar três CPIs que teriam como alvo o governo estadual, mas número de assinaturas foi insuficiente; Mauro Rubem, Daniel Vilela e Major Araújo agora tentam descobrir quem foram os "traidores"; revés expõe fragilidade da oposição em manter unidade na Assembleia, mas grupo promete reagir o mais rápido possível

Oposição na Assembleia vai à lona no primeiro round
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Goiás247_ A oposição na Assembleia Legislativa sofreu duro revés na quinta-feira (28) que expôs a fragilidade do grupo em manter união para enfrentar o governo estadual. Na primeira batalha do ano, a base aliada do governo mostrou sua força e os pedidos de criação de CPIs por parte dos oposicionista não prosperaram.

O presidente da Casa, Helder Valin (PSDB) arquivou os requerimentos que tinham como alvo o governo de Marconi Perillo. O motivo foi a falta de assinaturas suficientes como manda o regimento da Assembleia.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Assim, a oposição viu as CPIs da Saúde, Segurança e Rodovida sequer saírem do papel. Ao longo da semana a oposição ser articulou intensamente para mobilizar a quantidade de assinaturas necessária para criar as comissões. Mas, na hora “H” houve desertores e os deputados do PMDB e PT agora tentam descobrir quem pulou fora do barco.

O presidente Helder Valin disse ter sido informado pela Diretoria Parlamentar que os requerimentos não continham o número mínimo de assinaturas, conforme determina o Regimento Interno da Assembleia e, por isso enviou-os ao arquivo.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A guerra das CPIs na Assembleia mostra que o a campanha eleitoral já foi antecipada e as ações na Casa sempre envolvem a sucessão estadual de 2014. Mesmo abalada e ainda tentando assimilar o que aconteceu a oposição promete reagir. Até mesmo para

Luis Cesar Bueno (PT) queria a CPI do Rodovida (programa do governo que recupera estradas), Mauro Rubem (PT) propôs a da Saúde e Major Araújo (PRB), que já foi aliado do governo, queria a criação da CPI da Segurança Pública.

O deputado Karlos Cabral protestou em seu Twitter contra a fuga dos aliados, ainda desconhecidos. “A retirada de assinaturas das CPIs da Oposição na ALEGO, já aponta como será o futuro eleitoral das oposições em Goiás. Quem tem lado tem”.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Nesta semana Major Araújo (PRB) afirmou nas redes sociais que o passe de um deputado para a base do governo valia R$ 3 milhões em emendas ao Orçamento do Estado deste ano. No entanto, Araújo não apresentou provas.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247,apoie por Pix,inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO