CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Oposição propõe pausa na eleição do Simed para debater caos na saúde

Coordenador clínico do Hospital Geral de Palmas (HGP), o médico Hugo Magalhães alegou a medida seria para dar tempo aos membros da chapa de oposição e da situação cobraerem do governo do Estado solução para o caos na saúde; "Nos últimos dias os problemas têm se agravado, como vem sendo mostrado na imprensa. Voltou a faltar alimentação e os problemas com medicamentos e insumos continuam. Quero propor uma pausa na nossa campanha e convidar os integrantes da chapa 2, da qual faço parte, e os integrantes da chapa 1 para, juntos, procurarmos a Secretaria da Saúde para debater o problema", afirmou ele, em vídeo; Magalhães é candidato à presidência do Simed pela chapa “Responsabilidade Classista”, de oposição

Imagem Thumbnail
Coordenador clínico do Hospital Geral de Palmas (HGP), o médico Hugo Magalhães alegou a medida seria para dar tempo aos membros da chapa de oposição e da situação cobraerem do governo do Estado solução para o caos na saúde; "Nos últimos dias os problemas têm se agravado, como vem sendo mostrado na imprensa. Voltou a faltar alimentação e os problemas com medicamentos e insumos continuam. Quero propor uma pausa na nossa campanha e convidar os integrantes da chapa 2, da qual faço parte, e os integrantes da chapa 1 para, juntos, procurarmos a Secretaria da Saúde para debater o problema", afirmou ele, em vídeo; Magalhães é candidato à presidência do Simed pela chapa “Responsabilidade Classista”, de oposição (Foto: Leonardo Lucena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Tocantins 247 - O coordenador clínico do Hospital Geral de Palmas (HGP), o médico Hugo Magalhães, propôs uma pausa na eleição do Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (Simed-TO) para que os membros da chapa de oposição e da situação cobrem do governo do Estado solução para o caos na saúde do Tocantins. A área enfrenta problemas como  falta de remédios, alimentação e materiais para atendimentos e cirurgias.

“Nos últimos dias os problemas têm se agravado, como vem sendo mostrado na imprensa. Voltou a faltar alimentação e os problemas com medicamentos e insumos continuam. Quero propor uma pausa na nossa campanha e convidar os integrantes da chapa 2, da qual faço parte, e os integrantes da chapa 1 para, juntos, procurarmos a Secretaria da Saúde para debater o problema”, afirmou o clínico geral em vídeo divulgado em redes sociais.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Anão ocorre apenas no HGP, mas sim em todos os hospitais do Estado. “Vamos pressionar o governo para resolver a situação, com toda a nossa força. Depois a campanha continua”, disse ele.

Magalhães, que é candidato à presidência do Simed pela chapa “Responsabilidade Classista”, de oposição, afirma que sempre denunciou problemas relacionados a condições de trabalho da categoria e cobrou soluções das autoridades. “Nunca deixamos de denunciar os problemas nos hospitais públicos e as péssimas condições de trabalho dos trabalhadores da saúde. Fizemos isso enquanto profissionais e cidadãos”, acrescentou.

Para Magalhães, os médicos devem continuar mobilizados e com causas comuns. “A eleição não nos separa. Pelo contrário, nos une na defesa de condições dignas de trabalho”, afirmou. “Deixo aqui registrado o convite para todos os médicos, das duas chapas, no gabinete do secretário de saúde para cobrar soluções”, acrescentou.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO