Oposição quer ouvir Gabrielli na AL-BA

Depois de já ter ido se explicar ao Congresso, o secretário de Planejamento do Estado, José Sérgio Gabrielli, pode ter que ir prestar esclarecimentos na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) sobre a compra da refinaria de Pasadena; o deputado Carlos Gaban (DEM) protocolou pedido à presidência da Casa solicitando a convocação do petista; "Peço que seja solicitado ao TCU toda documentação necessária sobre o envolvimento do secretário José Sérgio Gabrielli, principalmente sobre isso (Pasadena). E com relação à Lava Jato, a atual presidente já deu entrevista dizendo que existia propina; ela está se referindo a um 'ex-mandato', e o ex-presidente quem era? Gabrielli", diz o democrata

Depois de já ter ido se explicar ao Congresso, o secretário de Planejamento do Estado, José Sérgio Gabrielli, pode ter que ir prestar esclarecimentos na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) sobre a compra da refinaria de Pasadena; o deputado Carlos Gaban (DEM) protocolou pedido à presidência da Casa solicitando a convocação do petista; "Peço que seja solicitado ao TCU toda documentação necessária sobre o envolvimento do secretário José Sérgio Gabrielli, principalmente sobre isso (Pasadena). E com relação à Lava Jato, a atual presidente já deu entrevista dizendo que existia propina; ela está se referindo a um 'ex-mandato', e o ex-presidente quem era? Gabrielli", diz o democrata
Depois de já ter ido se explicar ao Congresso, o secretário de Planejamento do Estado, José Sérgio Gabrielli, pode ter que ir prestar esclarecimentos na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) sobre a compra da refinaria de Pasadena; o deputado Carlos Gaban (DEM) protocolou pedido à presidência da Casa solicitando a convocação do petista; "Peço que seja solicitado ao TCU toda documentação necessária sobre o envolvimento do secretário José Sérgio Gabrielli, principalmente sobre isso (Pasadena). E com relação à Lava Jato, a atual presidente já deu entrevista dizendo que existia propina; ela está se referindo a um 'ex-mandato', e o ex-presidente quem era? Gabrielli", diz o democrata (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Depois de já ter ido se explicar ao Congresso por duas vezes, o secretário de Planejamento do Estado (Seplan), José Sérgio Gabrielli, pode ter que ir prestar esclarecimentos aos deputados na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) sobre a fatídica compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, quando ele era presidente da Petrobras. É possível que a estatal tenha ficado no prejuízo em mais de R$ 500 milhões.

O deputado Carlos Gaban (DEM) protocolou pedido à presidência da Casa solicitando a convocação do petista. "Nesse ofício também peço que seja solicitado ao TCU (Tribunal de Contas da União) toda documentação necessária sobre o envolvimento do secretário José Sérgio Gabrielli, principalmente sobre isso (Pasadena). E com relação à (operação) Lava Jato, a atual presidente já deu entrevista dizendo que existia propina; ela está se referindo a um 'ex-mandato', e o ex-presidente quem era? Gabrielli", diz o democrata.

Para Gaban, além das afirmações da sucessora de Gabrielli, Graça Foster, e da apuração do TCU, embasam os questionamentos ao titular da Seplan a investigação feita pelo Ministério Público Federal (MPF) do Paraná. O democrata também aponta o fato de o TCU ter determinado o bloqueio de bens do secretário, do ex-diretor da área Internacional da estatal, Nestor Cerveró, e do ex-diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, por conta dos prejuízos advindos da aquisição da refinaria.

"Ele é responsável pela elaboração do orçamento de 2015 que vai ser analisado pela AL-BA; o orçamento que foi elaborado e entregue pessoalmente por alguém que está sendo investigado. Acho temeroso analisar o orçamento de quem o TCU incriminou", justifica o deputado em matéria no site Bahia Notícias.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247