Otto descarta possibilidade de aliança do PSD com ACM Neto

Presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar diz que não existe possibilidade de a legenda não apoiar a candidatura do governador Rui Costa à reeleição; declaração do senador é resposta ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ângelo Coronel (PSD), que disse que se seu partido "marchar com o prefeito ACM Neto", ele marchará "também"; "Já disse centenas de vezes que não há menor chance de aliança do PSD que não seja com Rui", sentencia Otto

Otto descarta possibilidade de aliança do PSD com ACM Neto
Otto descarta possibilidade de aliança do PSD com ACM Neto (Foto: Ascom/Governo do Estado)

Romulo Faro/Bahia 247 - Presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar diz que não existe possibilidade de a legenda não apoiar a candidatura do governador Rui Costa à reeleição no próximo ano. Declaração do senador é resposta ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ângelo Coronel (PSD), que disse que se seu partido "marchar com o prefeito ACM Neto", ele marchará "também".

"Já disse centenas de vezes que não há menor chance de aliança do PSD que não seja com Rui. Ele (Coronel) tem liberdade de dizer o que pensa. Ele é presidente do Poder Legislativo do Estado da Bahia. Agora, ele disse que fica comigo em qualquer circunstância, que vai ficar comigo para onde eu for. Eu confio nele, e acredito nele. Eu nunca proibi ninguém de falar o que pensa e nunca obriguei ninguém a pensar igual a mim. Mas não tem possibilidade de uma articulação dessas. Às vezes a gente fala uma coisa na entrevista e pode ser interpretado de maneira diferente. Mas ele tem autonomia para pensar e falar o que ele quiser", disse Otto Alencar ao jornal Tribuna da Bahia.

Em entrevista à rádio Metrópole ontem (16), o deputado Ângelo Coronel, porém, condicionou a Otto Alencar a decisão, já exaustivamente declarada pelo senador, que é de continuar 'marchando' com o governador Rui Costa. "Se meu partido quiser marchar com ACM Neto, marcharei sem problema", disse Coronel.

Modesto, ele negava intenção de pleitear uma vaga em alguma chapa majoritária em 2018 quando assumiu a presidência da ALBA. Mas vendo seu nome ser aclamado pelos correligionários, Coronel já disse à Tribuna em entrevista recente que aceitaria até ser candidato a governador e bater chapa com Rui, posição que ele reiterou na entrevista de ontem à rádio. "Não vou ser hipócrita de dizer que não gostaria de um dia acessar um cargo maior. Quem não quer governar o seu estado ou presidir o seu país?", questionou o presidente da Assembleia Legislativa.

Apesar dos diversos episódios via imprensa, o PSD só deve bater o martelo sobre indicar alguém para uma das três vagas na chapa do PT (a de Rui à reeleição já é garantida) depois do carnaval do próximo ano, de acordo com as expectativas do senador Otto Alencar.

A probabilidade é que o partido indique Coronel para uma das duas vagas para o Senado, pois o vice-governador, João Leão, do PP, é considerado 'favorito' para continuar no cargo. Restam as duas vagas para o Senado, pelas quais já brigam diretamente PSB (com a senadora Lídice da Mata), PT (com Jaques Wagner), PDT e PCdoB. Recentemente o ex-presidente da Assembleia Marcelo Nilo, do PSL, retirou seu nome da disputa.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247