Padrasto se amarra a garota e detona explosivo

Crime chocou a cidade turística de Pirenópolis, interior de Goiás; de acordo com a polícia, ação foi premeditado por Joaquim Lourenço, 47; ele se amarrou numa árvore junto com Loanne Rodrigues, 19, e detonou uma banana de dinamite entre os dois; corpos foram encontrados eviscerados na terça-feira (17); padrasto e enteada saíram para tirar fotos no local no dia anterior, acompanhados da mãe de Loanne; testemunhas afirmam que Joaquim tinha ciúmes da jovem e queria controlar a vida da garota; ele trabalhava numa pedreira da cidade e teria fácil acesso aos explosivos

Crime chocou a cidade turística de Pirenópolis, interior de Goiás; de acordo com a polícia, ação foi premeditado por Joaquim Lourenço, 47; ele se amarrou numa árvore junto com Loanne Rodrigues, 19, e detonou uma banana de dinamite entre os dois; corpos foram encontrados eviscerados na terça-feira (17); padrasto e enteada saíram para tirar fotos no local no dia anterior, acompanhados da mãe de Loanne; testemunhas afirmam que Joaquim tinha ciúmes da jovem e queria controlar a vida da garota; ele trabalhava numa pedreira da cidade e teria fácil acesso aos explosivos
Crime chocou a cidade turística de Pirenópolis, interior de Goiás; de acordo com a polícia, ação foi premeditado por Joaquim Lourenço, 47; ele se amarrou numa árvore junto com Loanne Rodrigues, 19, e detonou uma banana de dinamite entre os dois; corpos foram encontrados eviscerados na terça-feira (17); padrasto e enteada saíram para tirar fotos no local no dia anterior, acompanhados da mãe de Loanne; testemunhas afirmam que Joaquim tinha ciúmes da jovem e queria controlar a vida da garota; ele trabalhava numa pedreira da cidade e teria fácil acesso aos explosivos (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247 - O crime que chocou a cidade turística de Pirenópolis (170 km da Capital) agora tem novo desfecho. As investigações da Polícia Civil mostram que o Joaquim Lourenço da Luz, 47 anos, se amarrou numa árvore com correntes junto com a enteada Loanne Rodrigues, de 19 anos, e detonou um explosivo entre os dois corpos. Ambos morreram com ferimentos abdominais profundos que expuseram órgãos, o que levou a polícia a acreditar, num primeiro momento, que os dois teriam assassinados com facadas.

O delegado Rodrigo Luiz Jayme acredita que o padrasto planejou o crime. No local, Morro do Frota (área de mata), foram encontrados objetos que pertenciam a Joaquim como um barraca, corrente e pedaços de corda. Ele também trabalhava numa pedreira da cidade e por isso teria acesso fácil aos explosivos.

Loanne, a mãe e Joaquim foram ao Morro do Frota na segunda-feira para tirarem fotos, mas em determinado momento a mãe não conseguiu acompanhá-los e disse eu voltaria depois para buscá-los. Os dois foram encontrados na terça-feira. Um homem teria visto Joaquim no domingo andando próximo ao local do crime.

Testemunhas já afirmaram que Joaquim sentia ciúmes da enteada e queria ter um controle da vida da jovem, que era conhecida na região por sua beleza e simpatia. A mãe disse nãoa acreditar na hipótese da polícia e afirmou que nunca percebeu nada de estranho na relação do companheiro com a filha.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247