Para ser candidato, deputado entra no PMDB

Depois do PRTB e do PSD, o ex-prefeito de Maceió, o deputado federal Cícero Almeida, vai se filiar ao PMDB e garantir o apoio para sua candidatura a prefeito da capital; o entendimento final vai ocorrer em Brasília, num encontro com o senador Renan Calheiros (PMDB); com isso, o PMDB suspende as conversas que vinha mantendo com o prefeito Rui Palmeira (PSDB)

Depois do PRTB e do PSD, o ex-prefeito de Maceió, o deputado federal Cícero Almeida, vai se filiar ao PMDB e garantir o apoio para sua candidatura a prefeito da capital; o entendimento final vai ocorrer em Brasília, num encontro com o senador Renan Calheiros (PMDB); com isso, o PMDB suspende as conversas que vinha mantendo com o prefeito Rui Palmeira (PSDB)
Depois do PRTB e do PSD, o ex-prefeito de Maceió, o deputado federal Cícero Almeida, vai se filiar ao PMDB e garantir o apoio para sua candidatura a prefeito da capital; o entendimento final vai ocorrer em Brasília, num encontro com o senador Renan Calheiros (PMDB); com isso, o PMDB suspende as conversas que vinha mantendo com o prefeito Rui Palmeira (PSDB) (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O deputado federal Cícero Almeida vai mesmo para o PMDB, a fim de garantir apoio para sua candidatura a prefeito de Maceió. O acordo, que vinha sendo "costurado" na tarde desta segunda-feira (14), foi selado na sede do partido, na presença do presidente do Diretório Municipal, Mozart Amaral.

Entretanto, o "abraço final" acontece nesta terça-feira (15), em Brasília, num encontro com o senador Renan Calheiros (PMDB). Conforme a Gazeta vinha antecipando, a última palavra é dele. Foi com sua autorização que o processo de construção da vinda de Almeida foi articulado.

De acordo com o que apurou a Gazeta, o deputado federal Marx Beltrão, que está deixando o partido para comandar o PSD, foi um importante negociador no processo.

Crescendo no litoral sul e avançando por outros municípios, ele ganhou ainda mais o respeito do PMDB.

Ele também garantiu apoio a candidatura de Almeida. O ex-prefeito, que nunca negou seu desejo de voltar a comandar a capital, "ia para a luta" a qualquer custo, como havia garantido à Gazeta no início do ano.

Agora, numa sigla forte, com padrinhos de peso, deve colocar o "bloco na rua". Principalmente, porque seu novo padrinho político, o senador Renan Calheiros, vem atuando nos bastidores para lhe tirar um "peso das costas".

Trata-se do processo movido pelo PRTB, liderado por Levy Fidélix, que preside a legenda nacionalmente. Se tudo der certo, ele deve desistir do processo por infidelidade partidária e abrirá caminho para que Almeida decole como candidato.

Com isso, o PMDB também abandona as conversas que vinha mantendo com o prefeito Rui Palmeira (PSDB).

Na semana passada, com a entrada do PDT, que precisava acomodar quadros e se articular para a sucessão, ele conquistou uma importante força para a sua campanha.

O partido, inclusive, já não vinha se "bicando" com Almeida, desde que no início do ano, o deputado federal Ronaldo Lessa, tentou trazer todo o chapão para o apoio a reeleição.

O primeiro a espernear foi o próprio Cícero Almeida. Agora, ele consolida esse espaço para a disputa.

No próximo dia 17, último dia da janela de transferência, ele deve assinar sua ficha de filiação. Até o fechamento desta edição o PMDB não tinha definido detalhes.

O presidente do partido, Mozart Amaral, também preferiu não se pronunciar até o encontro, hoje em Brasília, entre Almeida, Beltrão e Calheiros. 

Ao que parece, caberá ao próprio governador Renan Filho (PMDB) fazer o comunicado oficial na manhã desta terça-feira (15). 

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247