Pazuello republica portaria sobre aborto e recua de obrigatoriedade de aviso à polícia

Foi mantida a previsão que autoridades policiais sejam comunicadas do caso, independentemente da vontade da vítima de registrar queixa ou identificar o agressor. No entanto, a palavra "obrigatória" foi retirada do trecho sobre a comunicação à polícia

(Foto: Mídia NINJA)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após uma série de críticas, o governo federal foi obrigado a recuar e editou uma nova portaria sobre o procedimento para realização de aborto em caso de estupro.

Segundo informações do portal G1,  o texto foi publicado na edição desta quinta-feira (24) do "Diário Oficial da União", com a assinatura do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

A reportagem indica que, foi mantida a previsão que autoridades policiais sejam comunicadas do caso, independentemente da vontade da vítima de registrar queixa ou identificar o agressor. No entanto, a palavra "obrigatória" foi retirada do trecho sobre a comunicação à polícia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247