PE recebe mais 4,2 mil t. de milho contra a seca

Pernambuco receberá 4,2 mil toneladas de milho que integra um pacote de 21,4 mil toneladas do grão que foi leiloado nesta segunda-feira (15) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab); a nova remessa chegará quinze dias após o Estado ter recebido 25 mil toneladas do alimento, principal fonte de energia para os rebanhos; aquisição do produto visa minimizar os efeitos da estiagem no Nordeste, considerada a maior dos últimos 50 anos

PE recebe mais 4,2 mil t. de milho contra a seca
PE recebe mais 4,2 mil t. de milho contra a seca (Foto: Albino Oliveira)

PE247 – Pernambuco receberá 4,2 mil toneladas de milho que integra um pacote de 21,4 mil toneladas do grão que foi leiloado nesta segunda-feira (15) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A remessa chegará quinze dias após o Estado ter recebido 25 mil toneladas do alimento, principal fonte de energia para os rebanhos. A previsão é de que o alimento chegue seja desembarcado entre os dias 1 e 23 de agosto e, no caso de Caruaru, Agreste pernambucano, apenas no dia 31 do mesmo mês. O milho leiloado foi adquirido por R$ 13,1 milhões e beneficiará, ainda, os estados de Alagoas e Ceará.

Em Pernambuco, as 4,2 mil toneladas de milho beneficiarão sete municípios. No Agreste, serão contempladas as cidades de Caruaru, com mil ton. orçadas em R$ 620 mil, Garanhuns (400 ton./R$245,8 mil), São Bento do Una (500 ton./R$ 312,5 mil), Bom Conselho (400 ton./R$ 243,8 mil) e Itaíba (400 ton./R$ 248 mil). Já no Sertão, o alimento chegará em Arcoverde (mil ton./R$ 607,5 mil) e em Sertânia (500 ton./R$ 314 mil).

Após o presidente da Federação da Agricultura de Pernambuco (Faepe), Pio Guerra, ter reclamado da pouca quantidade de milho que está chegando ao Estado, a Conab, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que o declínio do volume ocorreu em virtude da redução do número de polos de distribuição. A companhia informou que os polos de Petrolina, Salgueiro, Flores, Ouricuri e Serra Talhada serão atendidos com parte das 25 mil toneladas de milho.

Para a distribuição do grão, a Conab leva em conta os seguintes requisitos: capacidade de estocagem do polo, estoque existente, fluxo de recebimento e estimativa de venda. Em entrevista ao jornal Folha de Pernambuco, o superintendente de Logística Operacional da Conab, Eduardo Tavares, afirmou que o Nordeste tem um estoque de milho público estimado em 60 mil toneladas. “A venda estimada em julho é de 65 mil toneladas, mas a Conab tem condições operacionais para um abastecimento superior a 80 mil”, disse.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247