CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Geral

Pede pra sair, pede pra sair

o bordão do Capitão Nascimento no filme "Tropa de Elite" cabe bem no processo da briga entre PT e PSB em Pernambuco, Os secretários estaduais ligados ao PT, Isaltino Nascimento e Fernando Duarte, Transportes e  Cultura, respectivamente, estariam sofrendo pressões para entregarem os cargos; Governador Eduardo Campos (PSB) não deverá pedir que eles deixem os postos, mas também não hesitará em aceitar caso os mesmos peçam para sair

Pede pra sair, pede pra sair
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Paulo Emílio_PE247- Com o acirramento dos ânimos na reta final destas eleições, o clima entre PT e PSB, que embora rivais no pleito, partilham cargos nas administrações estadual e municipal, a temperatura começa a subir. De acordo com fontes ligadas aPpalácio do Campo das Princesas,  os secretários estaduais ligados ao PT, Isaltino Nascimento e Fernando Duarte, Transportes e  Cultura, respectivamente, estariam sofrendo pressões para entregarem os cargos. “Existe uma certa pressão por parte de alguns grupos do PSB. mas o governador Eduardo campos não vai pedir o cargo de ninguém, até para corroborar o discurso que tem feito ao PT Nacional de que a disputa é apenas municipal. Mas se eles entregarem os cargos, o Governador vai aceitar sem maiores questionamentos”, diz a fonte que prefere não ser identificada.

Segundo esta mesma fonte, as animosidades entre as legendas aumentaram desde que o PSB resolveu lançar candidatos próprios em várias capitais. Quando Humberto Costa foi ungido pela direção nacional do PT para disputar à Prefeitura do Recife, esta situação se deteriorou rapidamente. Humberto, que começou liderando a corrida sucessória, hoje encontra-se em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás de Geraldo Júlio (PSB) e de Daniel Coelho (PSDB).  Acossado, Costa – que também integrou o primeiro escalão da administração estadual - partiu para o ataque. As críticas irritaram o presidente do PSB, governador Eduardo Campos, que rebateu pessoalmente e também no guia eleitoral os ataques de Humberto.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Foi daí que as pressões para que o PT entregasse os cargos começaram a ficar mais fortes. Não que os secretários deixem de ser recebidos ou de terem seus pedidos atendidos, mas existe uma fila de insatisfeitos com a participação do PT no Governo e com os ataques que Geraldo Júlio vem sofrendo e que não deixariam, como não estão deixando, passar em branco  a oportunidade de pedir a saída do PT do Governo do Estado”, observa.

Neste caso, Eduardo estaria levando o caso em “banho-maria”, evitando uma fritura explícita que poderia voltar a refletir no relacionamento entre as duas  legendas no plano nacional. Vale ressaltar que, depois de um longo período de atritos, PT e PSB voltaram a se entender a ensaiar uma reaproximação há poucas semanas, quando Eduardo campos foi um dos primeiros presidentes de partidos políticos a defender o ex-presidente Lula de ataques sofridos por parte de alguns veículos de comunicação.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em paralelo a esta situação, até mesmo o senador e candidato petista Humberto Costa anda cobrando um posicionamento mais efetivo por parte dos correligionários que ocupam postos na administração estadual.  Para ele, o mais natural seria que o governador pedisse os cargos de volta. “Ele não precisa fazer pressão, nem mandar recados. É só pedir os cargos de volta”, disse em entrevista. Com isso, Costa passa a responsabilidade para Campos de colocar ou não um ponto final na aliança entre os dois partidos.

A situação anda tão tensa que o ministro da secretaria geral da Presidência, Gilberto Carvalho, em visita ao Recife neste final de semana tentou colocar panos quentes sobre a situação e manter a estabilidade da ligação entre as legendas. “Essa aliança (com o PSB) é muito cara para nós, o que não significa que não haja debates radicalizados em cada município”, disse. “Tem que se ter maturidade na política, não ir com muita sede ao pote. O projeto nacional é tão importante que não podemos sacrificá-lo em função de determinados interesses. Agora, insisto, o melhor candidato é Humberto. Não vim para falar mal do outro, mas para falar bem do melhor”, comentou.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO