Pernambuco muda classificação de municípios atingidos pelas chuvas

Governo de Pernambuco mudou a classificação de 14 municípios em estado de calamidade, por causa da chuva forte que caiu neste fim de semana, para situação de emergência; outras dez cidades tiveram o estado de emergência reconhecido em um segundo decreto; municípios classificados inicialmente em estado de calamidade e que agora estão em situação de emergência são: Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso e São Benedito do Sul; cidades incluídas no novo decreto são Caruaru, Ipojuca, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Primavera, Quipapá, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu

Chuvas causam destruição e mortes em Pernambuco
Chuvas causam destruição e mortes em Pernambuco (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sumaia Villela, correspondente da Agência Brasil - O governo de Pernambuco mudou a classificação de 14 municípios em estado de calamidade, por causa da chuva forte que caiu neste fim de semana, para situação de emergência.

O decreto nº 44.491, publicado ontem (29) em edição extra do Diário Oficial do Estado, foi republicado hoje (30) com a alteração. Além disso, outras dez cidades tiveram o estado de emergência reconhecido em um segundo decreto.

Ambos foram assinados ontem (29) pelo governador Paulo Câmara. Os municípios classificados inicialmente em estado de calamidade e que agora estão em situação de emergência são: Água Preta, Amaraji, Barra de Guabiraba, Barreiros, Belém de Maria, Catende, Cortês, Gameleira, Jaqueira, Maraial, Palmares, Ribeirão, Rio Formoso e São Benedito do Sul.

No decreto, foi incluído o trecho em que se explica que a decisão da alterar a classificação dos municípios para estado de emergência considerou Parecer Técnico da Coordenadoria de Defesa Civil do Estado de Pernambuco – Codecipe.

Já as cidades incluídas no novo decreto são Caruaru, Ipojuca, Joaquim Nabuco, Jurema, Lagoa dos Gatos, Primavera, Quipapá, Sirinhaém, Tamandaré e Xexéu. Ambos os decretos valem por 180 dias, a contar da data da ocorrência dos desastres.

De acordo com o site do Ministério da Integração Nacional, a situação de emergência é decretada em razão de desastre menos graves, quando a capacidade de resposta do município atingido não é superada, mas requer ajuda complementar do estado ou da União para as ações de socorro e de recuperação. Já o estado de calamidade é utilizado quando é necessário o auxílio direto do estado ou da União por causa da magnitude do desastre.

A Agência Brasil entrou em contato com a Codecipe e com o governo do estado para saber o motivo da mudança de estado de calamidade para situação de emergência, mas ainda não obteve resposta.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247