Pesquisadores encontram falhas de novos processadores em computador

A revista, chamada “c’t”, afirma que tomou conhecimento dos planos da Intel para consertar as falhas, e acrescentou que alguns chips projetados pela ARM podem ter problemas. O trabalho ainda prossegue para se determinar se chips da AMD também estão vulneráveis. Meltdown e Spectre podem revelar os conteúdos de um processador central de um computador, seja por meio de recursos que contornam barreiras de hardware, seja ao enganar aplicativos para que forneçam informações secretas.

Pesquisadores encontram falhas de novos processadores em computador
Pesquisadores encontram falhas de novos processadores em computador
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

(Reuters) - Pesquisadores encontraram oito novas falhas de segurança em processadores usados em computadores que se assemelham com os bugs Meltdown e Spectre descobertos em janeiro, publicou uma revista alemã especializada nesta quinta-feira.

A revista, chamada “c’t”, afirma que tomou conhecimento dos planos da Intel para consertar as falhas, e acrescentou que alguns chips projetados pela ARM podem ter problemas. O trabalho ainda prossegue para se determinar se chips da AMD também estão vulneráveis.

Meltdown e Spectre podem revelar os conteúdos de um processador central de um computador, seja por meio de recursos que contornam barreiras de hardware, seja ao enganar aplicativos para que forneçam informações secretas.

A C’t não listou as fontes usadas na história que publicou porque os pesquisadores estão trabalhando em sigilo, em que informam as companhias e concordam em adiar a divulgação de suas descobertas até que uma solução para as falhas seja encontrada.

A revista publicou que o Google Project Zero, um dos coletivos originais que expôs Meltdown e Spectre em janeiro, descobriu uma das falhas e que um embargo de 90 dias para a divulgação de suas descobertas ao público acaba em 7 de maio.

Representantes da Intel não comentaram o assunto descrito pela revista. AMD e ARM não puderam ser contatadas de imediato e o Google não respondeu a pedidos de comentário.

Por Douglas Busvine

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247