PF faz operação contra desvio de verba da Saúde no interior do RS

A Polícia Federal deflagrou uma operação com o objetivo de combater desvio de recursos públicos destinados pelo Ministério da Saúde à cidade de Pinheiro Machado, na Região da Campanha do Rio Grande do Sul; dois mandados são cumpridos na cidade, e um em Pelotas, no Sul do estado; os três mandados são de busca e apreensão, para localizar documentos que comprovem a fraude

A Polícia Federal deflagrou uma operação com o objetivo de combater desvio de recursos públicos destinados pelo Ministério da Saúde à cidade de Pinheiro Machado, na Região da Campanha do Rio Grande do Sul; dois mandados são cumpridos na cidade, e um em Pelotas, no Sul do estado; os três mandados são de busca e apreensão, para localizar documentos que comprovem a fraude
A Polícia Federal deflagrou uma operação com o objetivo de combater desvio de recursos públicos destinados pelo Ministério da Saúde à cidade de Pinheiro Machado, na Região da Campanha do Rio Grande do Sul; dois mandados são cumpridos na cidade, e um em Pelotas, no Sul do estado; os três mandados são de busca e apreensão, para localizar documentos que comprovem a fraude (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - A Polícia Federal deflagrou uma operação na manhã desta quarta-feira (7) com o objetivo de combater desvio de recursos públicos destinados pelo Ministério da Saúde à cidade de Pinheiro Machado, na Região da Campanha do Rio Grande do Sul. Dois mandados são cumpridos na cidade, e um em Pelotas, no Sul do estado. Os três mandados são de busca e apreensão, para localizar documentos que comprovem a fraude.

Segundo a PF, a investigação apurou o envolvimento da administração de uma associação privada constituída com o propósito de obter de forma fraudulenta dinheiro público repassadas a Pinheiro Machado.

As investigações apontavam que dezenas de médicos, enfermeiros e psicólogos figuravam como associados, mas não tinham conhecimento da fraude e não recebiam qualquer valor da associação.

Os valores referentes aos atendimentos não prestados eram cobrados normalmente pela associação custeados pelos programas do Ministério da Saúde.  

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247