PF também intima ex-ministro que Dilma demitiu para evitar esquema de Temer

O prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), foi um dos alvos da operação da PF que prendeu os amigos de Michel Temer, José Yunes e o coronel da PM João Baptista Lima Filho, além de outras três pessoas ligadas a ele; Edinho Araújo foi ministro dos Portos, indicado por Temer e demitido pela presidente legítima Dilma Rousseff justamente para impedir a renovação das concessões de empresas portuárias com dívidas junto à União

O prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), foi um dos alvos da operação da PF que prendeu os amigos de Michel Temer, José Yunes e o coronel da PM João Baptista Lima Filho, além de outras três pessoas ligadas a ele; Edinho Araújo foi ministro dos Portos, indicado por Temer e demitido pela presidente legítima Dilma Rousseff justamente para impedir a renovação das concessões de empresas portuárias com dívidas junto à União
O prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), foi um dos alvos da operação da PF que prendeu os amigos de Michel Temer, José Yunes e o coronel da PM João Baptista Lima Filho, além de outras três pessoas ligadas a ele; Edinho Araújo foi ministro dos Portos, indicado por Temer e demitido pela presidente legítima Dilma Rousseff justamente para impedir a renovação das concessões de empresas portuárias com dívidas junto à União (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O prefeito de São José do Rio Preto, Edinho Araújo (MDB), ex-ministro dos Portos, foi um dos alvos da Operação Skala, deflagrada nesta quinta-feira, 29, pela Polícia Federal que prendeu os amigos de Michel Temer, José Yunes e o coronel da PM João Baptista Lima Filho, além de outras três pessoas ligadas a ele.

Edinho Araújo foi intimado a depor no inquérito que investiga se Temer recebeu propina para beneficiou empresas do setor portuário no decreto dos portos.

Edinho deixou a sede da Polícia Federal por volta das 11h10, depois de ser intimado por policiais no apartamento onde mora, no Centro de Rio Preto. O depoimento durou uma hora e meia. Nenhum delegado quis comentar o depoimento.

Antes do golpe parlamentar de 2016, uma decisão da presidente legítima e honesta Dilma Rousseff impedia a renovação das concessões de empresas com dívidas junto à União. Na carta em que se queixava de ser um vice decorativo, Temer protestou contra a demissão, por Dilma, de Edinho Araújo. "E a senhora não teve a menor preocupação em eliminar do governo o Deputado Edinho Araújo, deputado de São Paulo e a mim ligado", reclamou Temer.

Foram presos na Operação Skala, nesta quinta-feira:

José Yunes, advogado, amigo e ex-assessor do presidente Michel Temer

Antônio Celso Greco, empresário, dono da empresa Rodrimar

João Batista Lima, ex-coronel da Polícia Militar de São Paulo e amigo de Temer

Wagner Rossi, ex-deputado, ex-ministro e ex-presidente da estatal Codesp

Milton Ortolan, auxiliar de Wagner Rossi

Celina Torrealba, uma das donas do grupo Libra

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247