PGR cobra R$ 6 milhões de Aécio e da irmã Andrea

Denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) contém o pedido para que a Corte aplique uma multa de R$ 6 milhões contra o parlamentar e sua irmã Andrea Neves por danos morais e materiais; Andrea foi presa em um dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Aécio e Andrea são acusados de corrupção passiva e obstrução de Justiça

Senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG) 
Senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves (MG)  (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 - Na denúncia oferecida pela Procuradoria Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG conta o pedido para que a Corte aplique uma multa de R$ 6 milhões contra o parlamentar e sua irmã Andrea Neves por danos morais e materiais. Andrea foi presa em um dos desdobramentos da Operação Lava Jato. Aécio e Andrea são acusados de corrupção passiva e obstrução de Justiça.

Segundo o documento elaborado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Aécio terioa se valido do mandato de senador para obter "recebimento de vantagem indevida de R$ 2 milhões" da JBS e que o empresário Joesley Batista tinha "histórico de pagamento de vantagens indevidas" ao parlamentar tucano.

Ainda segundo a PGR, "com vontade livre, consciente e voluntária", Aécio" teria tentado impedir e embaraçar as investigações" da Lava jato "na medida em que empreendeu esforços para interferir na distribuição dos inquéritos da investigação no Departamento de Polícia Federal, a fim de selecionar delegados de polícia que supostamente poderiam aderir ao impedimento ou ao embaraço à persecução de crimes contra altas autoridades políticas do País".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247