Piauí descarta uso da força policial para desobstrução de estradas

O Piauí decidiu que não vai usar a força policial para desobstrução de estradas federais, mas garantiu que o foco será manter os serviços essenciais; decisão foi tomada durante reunião com a presença de representantes das polícias e do Exército para planejar estratégias de atuação sobre a greve dos caminhoneiros; foco da segurança será manter os serviços essenciais

O Piauí decidiu que não vai usar a força policial para desobstrução de estradas federais, mas garantiu que o foco será manter os serviços essenciais; decisão foi tomada durante reunião com a presença de representantes das polícias e do Exército para planejar estratégias de atuação sobre a greve dos caminhoneiros; foco da segurança será manter os serviços essenciais
O Piauí decidiu que não vai usar a força policial para desobstrução de estradas federais, mas garantiu que o foco será manter os serviços essenciais; decisão foi tomada durante reunião com a presença de representantes das polícias e do Exército para planejar estratégias de atuação sobre a greve dos caminhoneiros; foco da segurança será manter os serviços essenciais (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Piauí 247 - O secretário de Segurança Pública, Cel Rubens Pereira se reuniu na manhã deste sábado (26), na sede da Secretaria, com o gabinete de gerenciamento de crises do Piauí para planejar estratégias de atuação sobre a greve dos caminhoneiros. 

A reunião contou com a presença de representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Exército e o Núcleo de Inteligência da PM, além do presidente do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Piauí, Alexandre Cavalcante.

Na ocasião, o secretário de Segurança descartou o uso da força policial para desobstrução de estradas federais no Estado e garantiu que o foco será manter os serviços essenciais. "Estamos aqui querendo fazer com que se abasteça pelo menos os serviços essenciais, como a saúde, segurança, Corpo de Bombeiros, Samu. Nós estamos determinando aqui, através de escolta, inclusive com apoio da PRF, que faça o que foi feito ontem no aeroporto", disse o secretário Rubens Pereira.

No interior, segundo Rubens Pereira, também haverá apoio para garantir os serviços. "Já estamos programando em Uruçuí, Bom Jesus, Picos, São Raimundo Nonato, Parnaíba, Floriano. Queremos garantir o abastecimento mínimo e que os serviços não parem'', declarou.

"Os caminhoneiros entendem que há necessidade do abastecimento dos serviços essenciais", garantiu

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247