PIB de Goiás cresce 2,0% no primeiro trimestre de 2013

Soma de todas as riquezas produzidas no Estado é bem próxima da média nacional, que foi de 1,9%, segundo dados do Instituto Mauro Borges da Segplan; maior contribuição para este resultado veio do setor de serviços, que apresentou alta de 2,3%; a agropecuária registrou o segundo melhor desempenho (2%); a indústria ficou estável, com desaceleração na indústria química, na extrativa mineral e no setor industrial de minerais não metálicos (produtos da construção civil)

PIB de Goiás cresce 2,0% no primeiro trimestre de 2013
PIB de Goiás cresce 2,0% no primeiro trimestre de 2013
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás247_ O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todas as riquezas, cresceu 2,0% em Goiás no primeiro trimestre de 2013, taxa que ficou bem próxima à da média nacional do período, que foi de 1,9%. O levantamento preliminar do PIB goiano é realizado pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan).

Conforme o IMB/Segplan, a maior contribuição para este resultado veio do setor de serviços, que apresentou alta de 2,3%, contra 1,9% na média nacional. Foi verificado que, nos últimos três trimestres, este tem sido o comportamento da economia goiana, com o setor de serviços registrando as maiores taxas de crescimento. Embora tenha sido verificada uma trajetória de redução do consumo das famílias por causa do endividamento e da inflação, foi este ainda o fator que determinou o avanço do setor de prestação de serviços em Goiás.

A agropecuária registrou o segundo melhor desempenho no PIB goiano do primeiro trimestre do ano, com taxa de 2%. Mas esse resultado é considerado tímido, se comparado às taxas elevadas que o setor primário tem registrado nos últimos anos em Goiás. Segundo pesquisadores do IMB/Segplan, isso se deve à elevada base de comparação, pois no 1º trimestre de 2012 a agropecuária teve crescimento de 17%.

Já o setor da indústria apesentou desempenho estável em Goiás no primeiro trimestre deste ano, com crescimento zero, enquanto na média nacional houve queda de 0,8%. Dessa forma, o setor da indústria não contribuiu na formação do PIB goiano no referido período. Por mais que a indústria de alimentos e bebida tenha se recuperado de um ano fraco como foi 2012, houve desaceleração na indústria química, na extrativa mineral e no setor industrial de minerais não metálicos (produtos da construção civil).

(Com informações da Comunicação Setorial da Segplan)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247