Pimenta: Bolsonaro representa a barbárie e o caos

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), alertou que a disputa no segundo turno para a Presidência da República coloca o povo brasileiro diante da escolha entre a civilização e a barbárie, pois se trata de dois projetos antagônicos para o Brasil sair da crise econômica e social. Ele frisou que o projeto do candidato da Coligação o Povo Feliz de Novo, Fernando Haddad, abre caminho para um país sem violência para criar emprego e renda e superar a turbulência, enquanto o de seu opositor, Jair Bolsonaro (PSL), representa o caos e a barbárie

Pimenta: Bolsonaro representa a barbárie e o caos
Pimenta: Bolsonaro representa a barbárie e o caos (Foto: Ricardo Stuckert)

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), alertou nesta terça-feira (9) que a disputa no segundo turno para a Presidência da República coloca o povo brasileiro diante da escolha entre a civilização e a barbárie, pois se trata de dois projetos antagônicos para o Brasil sair da crise econômica e social. Ele frisou que o projeto do candidato da Coligação o Povo Feliz de Novo, Fernando Haddad, abre caminho para um país sem violência para criar emprego e renda e superar a turbulência, enquanto o de seu opositor, Jair Bolsonaro (PSL), representa o caos e a barbárie.

Para Pimenta, Bolsonaro é "uma mentira", um candidato que vive de fake news e pode afundar o Brasil numa "aventura". O líder do PT lembrou que a humanidade já "pagou caro" pela experiência nazifascista na Itália e Alemanha, nos anos de 1930, a qual "culminou com exclusão a extermínio de pessoas". Ele advertiu que Bolsonaro é adepto de práticas nazifascistas, ao defender a tortura, a discriminação e o preconceito.

Na análise de Paulo Pimenta, Bolsonaro não passa de um "fanfarrão e prepotente", incapaz de formular uma frase com mais de duas palavras e se posicionar sobre qualquer tema de relevância relacionado ao Brasil ou a outro país. O líder desafiou Bolsonaro a sair de sua toca e participar, na campanha do segundo turno, dos debates em emissoras de televisão com Fernando Haddad. "Ele não pode se esconder mais, vai ser dissecado, a sociedade brasileira vai ver que ele é um embuste, uma grande mentira".

O líder do PT disse que o Brasil se encontra num momento histórico profundamente delicado, com a necessidade de criar um pacto de convivência entre diferentes forças da sociedade para a criação de empregos e renda, preservar a soberania nacional, garantir a Previdência Social pública e os direitos da população.

"Fernando Haddad alinha-se com esse projeto, para governar para todos, em especial os mais desfavorecidos. Com os governos do PT, foram criados 20 milhões de empregos, universidades, escolas técnicas, houve crescimento econômico ,apoio à agricultura familiar e uma série de avanços, mas sem nenhuma proposta de estímulo a conflitos como solução de nossos problemas".

Em contraste com a proposta conciliatória de Haddad, Bolsonaro propões a violência como solução de todos os problemas brasileiros, sublinhou Pimenta. O líder frisou que o candidato do PSL se destaca por não ter projeto para o País, usando para se promover as mentiras difundidas por redes sociais digitais, disseminando a violência, a exclusão e preconceitos.

Paulo Pimenta lembrou que das poucas propostas concretas divulgadas por Bolsonaro e seu candidato a vice, o general Hamilton Mourão, está o fim do 13º salário, prejudicando milhões de trabalhadores do setor privado e público, a reforma da previdência pública e outras medidas que agravam ainda mais o corte de direitos iniciado pelo governo ilegítimo Michel Temer, que tem o apoio integral do candidato do PSL. Pimenta recordou que Bolsonaro votou a favor das principais medidas propostas por Temer para cortar direitos do povo brasileiro, além da Emenda Constitucional que congelou os gastos públicos por 20 anos, prejudicando diretamente áreas essenciais como saúde, educação e segurança pública.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247