Pimenta da Veiga volta à política por Aécio

Afastado há 10 anos, ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso, diz que pretende se dedicar à campanha do senador mineiro para que tenha um resultado histórico no Estado: "Os votos que ele disputou em Minas eram obtidos com mais facilidade. Dessa vez, será para a Presidência. De maneira que queremos transferir o voto e o apoio que ele e Anastasia tiveram para a campanha nacional"

Pimenta da Veiga volta à política por Aécio
Pimenta da Veiga volta à política por Aécio
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-prefeito de Belo Horizonte e ex-ministro do governo Fernando Henrique Cardoso, Pimenta da Veiga, promete um retorno triunfal à vida política mineira, depois de ficar afastado por 10 anos, para se dedicar "por inteiro" à campanha à Presidência do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

"É preciso que ele tenha um resultado muito significativo, que seja um sinal para o Brasil. Vamos trabalhar para que ele tenha um resultado histórico aqui", disse em entrevista ao Valor.

Pimenta da Veiga diz que já começou a trabalhar e que vai, ao lado de lideranças tucanas, viajar pelo Estado. "Os votos que ele disputou em Minas eram obtidos com mais facilidade. Dessa vez, será para a Presidência. De maneira que queremos transferir o voto e o apoio que ele e Anastasia tiveram para a campanha nacional".

Pimenta da Veiga disse que também ajudará nas conversas e articulações para a campanha do PSDB ao governo de Minas. Atualmente, os possíveis candidatos do partido teriam algo entre 3% a 5% nas pesquisas.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247