Pimenta denuncia cooperação clandestina entre EUA e Moro

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, destaca depoimento do então procurador-geral da Divisão Criminal do Departamento de Justiça dos EUA, equivalente ao Ministério Público; "Kenneth Blanco falou em 'relacionamento íntimo' entre procuradores dos EUA e do Brasil na Lava Jato. Além disso, Blanco revelou que a cooperação entre eles 'não depende apenas de procedimentos oficiais', ou seja, também existe colaboração informal entre os agentes públicos dos dois países, procedimento que viola a legislação brasileira", diz Pimenta; "Seria essa uma cooperação clandestina que faz parte da perseguição judicial ao presidente Lula?", questiona o deputado

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, destaca depoimento do então procurador-geral da Divisão Criminal do Departamento de Justiça dos EUA, equivalente ao Ministério Público; "Kenneth Blanco falou em 'relacionamento íntimo' entre procuradores dos EUA e do Brasil na Lava Jato. Além disso, Blanco revelou que a cooperação entre eles 'não depende apenas de procedimentos oficiais', ou seja, também existe colaboração informal entre os agentes públicos dos dois países, procedimento que viola a legislação brasileira", diz Pimenta; "Seria essa uma cooperação clandestina que faz parte da perseguição judicial ao presidente Lula?", questiona o deputado
Em vídeo divulgado nas redes sociais, o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, destaca depoimento do então procurador-geral da Divisão Criminal do Departamento de Justiça dos EUA, equivalente ao Ministério Público; "Kenneth Blanco falou em 'relacionamento íntimo' entre procuradores dos EUA e do Brasil na Lava Jato. Além disso, Blanco revelou que a cooperação entre eles 'não depende apenas de procedimentos oficiais', ou seja, também existe colaboração informal entre os agentes públicos dos dois países, procedimento que viola a legislação brasileira", diz Pimenta; "Seria essa uma cooperação clandestina que faz parte da perseguição judicial ao presidente Lula?", questiona o deputado (Foto: Aquiles Lins)

Rio Grande do Sul 247 - O deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara, criticou a legalidade da cooperação estabelecida entre os Estados Unidos e o juiz federal Sérgio Moro.

Vídeo divulgado por Pimenta em suas redes sociais mostra que em julho de 2017, Kenneth Blanco era o Procurador-Geral Assistente da Divisão Criminal do Departamento de Justiça dos EUA (equivalente ao Ministério Público).

"Durante palestra em Washington, Kenneth Blanco falou em 'relacionamento íntimo' entre procuradores dos EUA e do Brasil na Lava Jato. Além disso, Blanco revelou que a cooperação entre eles 'não depende apenas de procedimentos oficiais', ou seja, também existe colaboração informal entre os agentes públicos dos dois países, procedimento que viola a legislação brasileira", diz Pimenta.

"Seria essa uma cooperação clandestina que faz parte da perseguição judicial ao presidente Lula?", questiona.  

Assista ao vídeo: 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247